Estudantes mostram resultados do Programa de Iniciação Científica

Amazonianarede – Fapeam

Manaus – Estudantes bolsistas que fazem parte do Programa de Iniciação Científica da Embrapa Amazônia Ocidental, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, apresentaram, durante Seminário de Iniciação Científica, os resultados preliminares de projetos de pesquisa desenvolvidos desde agosto de 2012.

O evento busca avaliar como está o andamento destes trabalhos científicos, que, atualmente, contam com a participação de 41 bolsistas.

As bolsas são financiadas pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), através do Pibic (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica), e pela Fapeam ( Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas), por meio do Paic/AM (Programa de Apoio à Iniciação Científica do Amazonas).

De acordo com a pesquisadora Regina Quisen, presidente do Comitê Interno de Bolsistas e Estagiários da Embrapa Amazônia Ocidental (Cibe), o Programa de Iniciação Científica insere os alunos no ramo da pesquisa. “O Programa proporciona ao bolsista a aprendizagem de técnicas e métodos científicos, e estimula o desenvolvimento do pensar e da criatividade. Também estimula os pesquisadores a formarem equipes e prepara os estudantes para programas de pós-graduação. Além disso, contribui para diminuir as disparidades regionais na distribuição da competência científica no País”,destacou a pesquisadora.

Durante o Seminário, realizado na sede da Embrapa em Manaus, os alunos – oriundos de cursos de graduação de instituições públicas e privadas de Manaus – apresentam trabalhos relacionados a diferentes temas de pesquisa da Instituição, como piscicultura, silvicultura, guaraná e plantas medicinais, entre outros.

Larissa Aragão, bolsista do Programa e acadêmica do curso de Biologia do UniNorte, foi a terceira a se apresentar. Seu trabalho aborda a produção da madeira com fins energéticos de duas espécies em plantios homogêneos.

Para ela, participar do projeto pode representar boas oportunidades na carreira profissional. “Quero seguir na área da pesquisa, e isto é uma preparação importante para o futuro. Além disso, como pretendo prestar mestrado, este é um pré-requisito que pode me diferenciar”, ressaltou.

Durante a abertura do evento, o chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Amazônia Ocidental, Celso Paulo de Azevedo, ressaltou o trabalho desenvolvido pelos estudantes. “Para quem quer trabalhar com pesquisa e ensino, este é o primeiro passo. Isto inclusive abre caminhos para os estudantes fazerem, posteriormente, mestrado e doutorado”, finalizou.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.