Embrapa apresenta sistema de produção de mandioca e milho para o Amazonas

Novas variedades de milho recomendadas pela Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus-AM) e orientações sobre Sistema de Produção de Mandioca em terra firme serão apresentadas aos produtores rurais para cultivo em terra firme e várzea no Amazonas, no Dia de Campo que será realizado na próxima terça-feira, dia 18 de junho de 2013, das 8h às 12h, na Fazenda Águas Claras, Km 63, Rodovia AM-070, margem direita – Manacapuru, AM.

Essas tecnologias (novas cultivares e sistemas de produção) a serem apresentadas no Dia de Campo respondem a diversos problemas relacionados à baixa produtividade de milho e mandioca no Amazonas, proporcionando aumento de produtividade nas condições de clima e solo do estado, e também maior segurança alimentar, pois se trata de alimentos importantes na dieta alimentar da região e que vêm sendo importados para completar o abastecimento do Amazonas. Além disso, são alternativas tecnológicas que contribuem para a conservação ambiental pelo seu potencial de produzirem mais ocupando proporcionalmente as mesmas áreas de plantio, não sendo necessário a abertura de novas áreas para aumentar a produção.

As novas variedades de milho recomendadas para o estado são a BRS Caimbé e BRS 4103, e foram avaliadas em quatro ambientes do estado do Amazonas, nas safras de 2011/2012 e 2012/2013, tanto em várzea quanto em terra firme, pela Embrapa Amazônia Ocidental. O pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Inocencio Junior de Oliveira, informa que os resultados mostraram que as novas variedades tem produtividade 20% a 25 % maior que as variedades atualmente cultivadas no estado do Amazonas. Isso representa que com as novas variedades milho estima-se uma produtividade de 4,5 a 5 toneladas por hectare, em grãos de milho seco. Para o milho verde, pode-se colher 40.000 espigas comerciais por hectare (ha). Considera-se “espigas comerciais”, aquelas em bom estado e com tamanho maior que 15 cm de comprimento e 3,5 de diâmetro.

Essas tecnologias (novas cultivares e sistemas de produção) a serem apresentadas no Dia de Campo respondem a diversos problemas relacionados à baixa produtividade de milho e mandioca no Amazonas, proporcionando aumento de produtividade nas condições de clima e solo do estado, e também maior segurança alimentar, pois se trata de alimentos importantes na dieta alimentar da região e que vêm sendo importados para completar o abastecimento do Amazonas. Além disso, são alternativas tecnológicas que contribuem para a conservação ambiental pelo seu potencial de produzirem mais ocupando proporcionalmente as mesmas áreas de plantio, não sendo necessário a abertura de novas áreas para aumentar a produção.

Em relação à mandioca, o pesquisador Miguel Dias vai apresentar informações sobre preparo do solo, calagem, cultivares, adubação de plantio, controle de plantas daninhas, adubação de cobertura, épocas de colheita, qualidade da raiz e armazenamento de maniva semente.

O pesquisador destaca que a mandioca é uma cultura muito importante no Estado do Amazonas, pelos seus aspectos econômicos, e, principalmente, sociais, dada a sua capacidade de fixação do homem no campo. Embora a mandioca se adapte bem às condições de clima e solo da região, ainda assim são necessários conhecimentos técnicos e orientações tecnológicas para melhorar a produção em bases mais sustentáveis. Atualmente a produção de mandioca é insuficiente para atender a demanda de farinha no Amazonas, que é o principal produto da mandioca no estado. No Amazonas, a média do consumo de farinha de mandioca por pessoa é de cerca de 58/kg/habitante/ano. Por não produzir o suficiente para atender sua demanda, o estado do Amazonas importa cerca de 24 mil toneladas de farinha para seu abastecimento.

Em relação à mandioca, a Embrapa Amazônia Ocidental tem disponíveis tecnologias como sistema de produção de mandioca e cultivares tanto para áreas de várzea quanto de terra firme no Amazonas, que permitem alcançar produtividades de até 33 toneladas de raiz por hectare, três vezes acima da média regional, que é de 8 a 10 toneladas por hectare. Destacam-se também técnicas de plantio adensado como método de multiplicação de maniva/semente.

O Dia de Campo é realizado pela Embrapa Amazônia Ocidental, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com apoio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), Prefeitura de Manacapuru e Fazenda Agrotec.

Os interessados em participar podem comparecer diretamente ao local, às 8h, de terça (18/06/13), na Fazenda Águas Claras, Km 63, da Rodovia AM-070, margem direita, município de Manacapuru.

Embrapa Amazônia Ocidental
Texto: Síglia Souza

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.