Dia de Finados leva mais de 500 mil aos cemitérios de Manaus

Agentes da Semulsp irão atuar até o fechamento dos portões dos cemitérios, previsto para às 19h
A estimativa é de que 500 mil pessoas passem pelos cemitérios de Manaus
A estimativa é de que 500 mil pessoas passem pelos cemitérios de Manaus

MANAUS – Dentro da área urbana da capital amazonense, seis locais dividiram a atenção de casais, idosos e crianças que, no Dia de Finados, nesta quarta-feira (2), visitaram os túmulos de amigos, parentes e familiares. A expectativa, segundo órgãos da prefeitura de Manaus, é de que 500 mil pessoas passem pelos cemitérios São João Batista, Zona Centro-Sul; Nossa Senhora Piedade, na Norte; Nossa Senhora Aparecida, o Parque Tarumã e Santa Helena, na Oeste; São Francisco e Santo Alberto na Zona Sul.

O Parque Tarumã é o maior cemitério da América Latina. Dividido em 64 quadras, o local abriga 91.553 sepulturas e é o único em atividade para novos sepultamentos na cidade, já que os demais cemitérios estão ocupados em sua totalidade e atendem somente sepultamentos em jazigos familiares.

Segundo a Polícia Militar (PM) – que atua com 41 profissionais no Parque Tarumã, até o final da manhã, aproximadamente 380 mil pessoas já tinham visitado os túmulos de familiares no local. Nas áreas adjacentes, houve engarrafamento de até 6 quilômetros, no sentido Ponta Negra.

O fluxo na área interna do cemitério Parque Tarumã foi intenso no período da manhã
O fluxo na área interna do cemitério Parque Tarumã foi intenso no período da manhã

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) operou com seis guarnições na avenida do Turismo. “Estamos aqui trabalhando e organizando o tráfego, não somente como profissionais, mais também procuramos exercer um ato solidário”, disse Marlos Nicácio, que há 17 anos exerce o cargo de chefe de operações do órgão.

Ainda de acordo com Nicácio, 105 ‘marronzinhos’ atuam no entorno do Parque Tarumã e dos demais cemitérios de Manaus, desde às 23h de ontem, evitando, assim, apresentar maiores dificuldades aos motoristas.

O canteiro central da avenida do Turismo foi utilizado, com autorização do Manaustrans, como estacionamento para os veículos e, assim, nenhum veículo teria sido multado pelo ato.

“Quem estacionar em cima do meio-fio não será multado. Hoje é um dia atípico”, explicou Marlos, informando que apenas veículos que apresentaram falhas mecânicas foram guinchados do local.

Sessenta bombeiros estão atuando no Dia de Finados, na capital
Sessenta bombeiros estão atuando no Dia de Finados, na capital

Além da PM e do Manaustrans, o maior cemitério de Manaus conta com o apoio de quatro ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e 12 viaturas (motos e carros) da 19ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) que, juntos, patrulham e monitoram a parte interna e externa da área.

Todos os cemitérios contam, hoje, com o apoio na área de segurança e contenção de qualquer acidente e atendimentos de emergência. Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Polícia Civil, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), Subsecretaria Municipal de Feiras e Mercados (Subsempab) e a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) também integram as ações nos seis pontos de visitação do feriado.

A Semmasdh está nas ruas para combater o trabalho infantil e a Subsempab está para organizar as vendas no arredores dos cemitérios, prática comum neste dia. A Manauscult entra no apoio à missa campal, realizada no cemitério São João Batista.

“A prefeitura não vai proibir que estas pessoas trabalhem no dia. Com o apoio e orientação da Subsempab, devemos apenas organizar o comércio informal para que não haja nenhum tumulto”, explicou o secretário municipal de Limpeza Urbana, Paulo Farias.

Já o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, que atua com 60 profissionais em regime de dois turnos, afirma que o serviço operacional está atuando normalmente em regime de prontidão nos postos da capital e que, nos cemitérios, a presença dos bombeiros realizam orientações de segurança e extinguem pequenos focos de incêndio decorrentes do acender das velas.

Limpeza

Agentes da Semulsp irão atuar até o fechamento dos portões dos cemitérios, previsto para às 19h
Agentes da Semulsp irão atuar até o fechamento dos portões dos cemitérios, previsto para às 19h

A programação de limpeza continua durante o dia de visitação. Ao todo, 100 agentes da Semulsp atuarão o dia inteiro nos locais. Após o encerramento do dia, outros 200 trabalhadores serão mobilizados para a limpeza geral no entorno e nas quadras dos cemitérios.

“Vamos ter limpeza também ao final do evento, após o período de visitação dos espaços. Já na quinta-feira, 3, novas equipes vão iniciar o trabalho de limpeza nas quadras dos cemitérios”, destacou o subsecretário Operacional da Semulsp, José Rebolças.

Homenagem

A aposentada visita túmulos de familiares há uma década e afirma que só deixará de homenageá-los quando falecer
A aposentada visita túmulos de familiares há uma década e afirma que só deixará de homenageá-los quando falecer

Natural do município de Borba (distante 150 quilômetros de Manaus), a doméstica aposentada Cleonice Moreira, 76, há uma década visita, no Dia de Finados, o túmulo de entes queridos no cemitério Nossa Senhora Aparecida. Ela utilizou três ônibus coletivos para se locomover do bairro Presidente Vargas, na Zona Sul ao Tarumã, na Zona Oeste.

“O corpo da minha mãe foi velado em Borba e não posso ir lá com frequência. Aqui no Tarumã não perco a oportunidade de vir. Somente deixarei de visitar os túmulos de meu pai e minhas irmãs quando eu partir. Não foi fácil chegar até aqui, o ônibus demorou bastante, mas mesmo assim eu não desisti” disse a aposentada que afirmou ter gastado R$ 25 com o investimento em velas e flores.

Oportunidade

odas as 250 grinaldas produzidas pela autônoma foram vendidas antes do fim da manhã
Todas as 250 grinaldas produzidas pela autônoma foram vendidas antes do fim da manhã

Muitos vendedores de lanches, água mineral, flores, velas e enfeites para sepulturas aproveitaram o feriado para ganhar um ‘extra’. A autônoma Luzia Melo, 50, afirmou que a data é importantíssima para seus lucros. Ela trabalha com dois filhos e uma nora em uma barraca que vende flores artesanais, localizada em frente do cemitério Nossa Senhora Aparecida.

“Estou dormindo aqui na minha barraca desde o último dia 29, muitas pessoas ‘mal encaradas’ passam por aqui e até mesmo usuários de drogas, mas superamos as dificuldades e o risco. O local foi visitado intensamente nestes dias e, este ano, eu obtive mais lucro que em 2014 e 2015. Produzi 250 grinaldas e vendi todas antes mesmo de começar o período da tarde. Se eu soubesse teria fabricado 500 unidades”, disse a comerciante que com o dinheiro das vendas mantém um sítio. “Pago caseiros e mantenho minhas lavouras”, completou.

amazonianarede-emtempo

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.