DEHS investiga corpo encontrado em outra mala na Marina do David

Manaus – Na manhã desta terça-feira (28), outra mala foi achada às margens do rio Tarumã, na Marina do David, Zona Oeste de Manaus, por volta das 6h, por uma criança que mora no local. O objeto tem as características da mala encontrada à deriva nessa segunda-feira (27) por funcionários do Corpo de Bombeiros, nas proximidades da Ponte Rio Negro, contendo um corpo de um homem e duas cabeças.

A mala foi rebocada até a praia da Ponta Negra, onde peritos do Instituto de Criminalística (IC), ao abrirem o objeto, encontraram partes de um corpo masculino esquartejado. O resultado do laudo técnico irá apontar se o corpo encontrado nesta manhã tem alguma relação com os restos mortais achados ontem.

“Após os resultados dos laudos técnicos da perícia e os exames realizados pelo Instituto Médico Legal (IML) que irão identificar a quem pertence o corpo encontrado hoje, iremos definir as linhas de investigações e dar prosseguimento na elucidação do crime”, disse o Delegado Samir Freire, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que esteve no local.

Parte de corpo encontrado no rio Negro é identificado

Na tarde de ontem, após o resultado de um exame de comparação realizado por peritos do Instituto Médico Legal (IML), chamado “Odontograma”, foi confirmado que uma das cabeças encontradas em mala no rio Negro é de Frank Oliveira da Silva, 36, o “Frankzinho do 40”, detendo transferido do Complexo Penitenciário de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, no último dia 17 de maio, para o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), onde estava cumprindo pena no regime semiaberto por tráfico de drogas.

De acordo com a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), “Frankzinho do 40” e Antônio Carlos Uchôa, o “Tonga”, fugiram do Compaj na última sexta-feira (24), por volta das 15h.

(Ascom) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.