Corinthians cogita abandonar a Libertadores: ônus seria gigante

Amazonianarede – Ag. Estado

S. Paulo – A possibilidade de o Corinthians abandonar a Copa Libertadores-2013 é real. A hipótese que até então parecia se limitar a debates entre torcedores pela internet ganha força dentro do clube e poderia ser tomada no caso de a punição dada pela Conmebol não ser revertida.

A entidade que comanda o futebol sul-americano determinou inicialmente que o atual campeão do continente deverá disputar seus jogos na Libertadores sem torcida devido à tragédia envolvendo o garoto boliviano Kevin Douglas Beltran Espada, de 14 anos, morto após ser atingido pelo disparo de um sinalizador atirado por um torcedor brasileiro durante a partida contra o San José, quarta-feira passada, em Oruro.

O Corinthians enviou um recurso para suspender a punição nessa sexta e mostra confiança de que poderá contar com o Pacaembu cheio já na próxima quarta, no duelo contra o Millionarios, da Colômbia. A resposta do recurso pode sair na segunda-feira.

No entanto, membros da cúpula corintiana confirmaram ao ESPN.com.br que caso a pena se mantenha, abrir mão da disputa da Libertadores é uma opção cogitada.

A diretoria alvinegra tem sido pressionada por pessoas dentro do Parque São Jorge a tomar tal decisão, e o presidente do clube, Mario Gobbi, já foi consultado sobre o tema.

Ônus pesado

Deixar a competição seria uma ação que traria duras consequências ao Corinthians. O próprio clube admite isso ao considerar que seguir esse caminho seria traumático. O ato teria que ser muito bem estudado.

Segundo o regulamento da Conmebol, o clube que se retirar da Copa Libertadores deve pagar uma multa de US$ 200 mil para os três times que fazem parte do seu grupo mais US$ 20 mil à entidade e ser excluído pelo menos das próximas três edições do torneio para as quais se classifique.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.