Ciências sem Fronteiras proporciona intercâmbio entre INPA e Museu de Gales

Manaus – A Coordenação de Biodiversidade (CBio) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), recebeu, durante um mês, o pesquisador visitante do Departamento de Biodiversidade e Biologia Sistemática do Museu Nacional do País de Gales (NMWC), em Cardiff, no Reino Unido (UK), Adrian Plant.

A visita teve como objetivo colaborar com a estudante PhD do Inpa, Josenir Câmara e com o pesquisador José Albertino Rafael no projeto de investigação da diversidade e taxonomia de Hemerodromia(Diptera, Empididae, Hemerodromiinae) – grupo de moscas pequenas (1-2 mm de comprimento), aquáticas, cujas larvas vivem em corpos d’água não poluídos e que possui alto potencial de monitoramento de alteração ambiental causado por poluição – na região Neotropical e construir uma filogenia global.

“Como um primeiro passo para o condicionamento do projeto, uma avaliação inicial e preliminar da diversidade de Hemerodromia foi feita, baseada em grande parte do material de origem neotropical nas coleções do Inpa, complementadas por materiais diversos do Museu Nacional do País de Gales. Isso proporcionou bases a partir do qual foi feita uma seleção inicial de caracteres morfológicos de utilidade potencial no reconhecimento de espécies e na construção de uma filogenia”, explica Plant.

O trabalho foi iniciado para testar a aplicabilidade de caracteres selecionados e para identificar novos, examinando uma variedade de morfoespécies e avaliando a viabilidade de se analisar caracteres de uma forma significativa e inequívoca.“A estratégia para futuras direções e metodologia do projeto foi traçado e acordado”, informa.

Instigação de biótipos

A pesquisa de campo foi realizada na Reserva Florestal Adolpho Ducke (um dia), Novo Ayrão (quatro dias), Presidente Figueiredo (cinco dias), na reserva da Campina e na Reserva ZF-2 (um dia), buscando investigar os biótopos mais produtivos para a captura de espécimes de Hemerodromiinae e a adequação de diferentes métodos de coleta (por exemplo varredura e diversas armadilhas). “Numerosos espécimes foram coletados incluindo morfoespécies anteriormente não reconhecidas”, relata o pesquisador.

A coleta foi realizada para complementar a coleção existente no Inpa para permitir obtenção de material relevante suficiente para completar os estudos. O projeto é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

De acordo com o pesquisador do Inpa, José Albertino Rafael, Plant veio ao Brasil por meio do Programa Ciências sem Fronteiras e neste primeiro ano passou um mês em Manaus (AM). Já no segundo ano passará mais um mês e no terceiro ano dois meses. “Em contrapartida, a aluna de pós-graduação do Programa de Entomologia, Josenir Câmara, passará nove meses em seu laboratório, em Cardiff.

A interação pesquisador e aluna foi muito produtiva e ocorreu por meio de trabalhos no laboratório e no campo. Futuros projetos em comum foram delineados e o conhecimento do grupo certamente será incrementado com muitas espécies novas que serão descritas oportunamente”, afirma Rafael.

Na quinta-feira (18), aconteceu o seminário intitulado “Hemerodromiinae (Diptera: Empididae): a filogenia experimental e discussão biogeográfica”, que apresentou um resumo do estado atual do conhecimento da filogenia de Hemerodromiinae indicando problemas com atribuições atuais e da necessidade de estudos mais amplos.

Fonte: Inpa – Clarissa Bacelar 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.