Bi afirma que recursos do Fundeb foram desviados em Parintins

Bi afirma que dinheiro do Fundeb foi desviado em Parintins

Bi Garcia disse, durante coletiva, que em uma das notas fiscais há a descrição de um pagamento superior a R$ 1 milhão referente a uma compra de material escolar no final de ano

Em coletiva, Bi Garcia disse que recursos do Funed, foram desviados na administração passada 

Parintins, AM  – Em coletiva de imprensa realizada, nesta quinta-feira (5), no plenário Raimundo Almada, da Câmara Municipal de Parintins, distante a 369 quilômetros de Manaus, o prefeito recém-empossado da cidade, Frank Bi Garcia (PSDB), acompanhado da presidente do Sindicato dos Professores Municipais, Joelma Farias e de vereadores, denunciou que a prefeitura não tem dinheiro para pagar o salário do mês de dezembro do funcionalismo municipal.

Na ocasião, ele informou que o único dinheiro que encontrou na conta do município foi o dinheiro bloqueado pela Justiça, a pedido do Ministério Público Estadual, destinado a pagar o 13º dos professores e demais funcionários municipais.

Garcia disse que o ex-prefeito utilizou, só no mês de dezembro, cerca de R$ 2 milhões do recurso do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para pagar empresas que, supostamente, prestavam serviços ao município.

“Ao todo, foram desviados do dinheiro do Fundeb R$ 6 milhões e R$ 100 mil, por isso não temos dinheiro para pagar o salário do mês de dezembro dos professores e dos demais funcionários do município”, afirmou o prefeito.

O prefeito revela que em uma das notas fiscais descreve um pagamento superior a R$ 1 milhão referente a uma compra de material escolar. “É querer zombar do povo de Parintins, pagamento de material escolar no final do ano não existe”, afirmou. Ele disse também que a Procuradoria-Geral do Município já está ajuizando ações no sentido de que a prefeitura possa rever esse dinheiro que foi desviado prejudicando os funcionários.

“Não vou perder tempo com isso, quem vai cuidar dessa situação é a Procuradoria que deve proceder todos os levantamentos necessários para as ações, o certo é que o dinheiro da prefeitura precisa voltar para prefeitura”, disse. Entre os que receberam dinheiro do Fundeb o prefeito relacionou uma construtora, cujo nome não aparece na documentação do município, Kagix Comercio e G. E. A Maia.

Denúncia

Presidente do Sindicato dos Professores Municipais, Joelma Farias disse que a entidade teve acesso a todas as notas fiscais relacionadas aos pagamentos feitos a empresas de Manaus.

“Muitas dessas empresas nunca forneceram absolutamente nada para a Prefeitura de Parintins e muito menos para as escolas. Tudo não passou de um grande esquema para retirar dinheiro da prefeitura. Nós denunciamos isso ao Ministério Público Estadual, alertamos as autoridades sobre o que estava acontecendo, mas somente no final do mandato fomos ouvidos e o restante do dinheiro foi bloqueado”, disse a líder sindical, bastante indignada com a denúncia.

Joelma lembrou também que os empresários fornecedores da Prefeitura de Parintins foram todos presos em uma operação do Ministério Público Estadual no município de Santa Izabel do Rio Negro. As denúncias de desvio de dinheiro do Fundeb foram levadas ao conhecimento das autoridades e da população, desde o início de 2016, pelo então vereador Juliano Santana (PDT).

Ele, inclusive, descobriu que a maioria das empresas que ganhavam licitações na Prefeitura de  Parintins não tinham sede na cidade.

A reportagem procurou ontem o ex-secretário de Finanças do município, José Maria Castro, porém, o mesmo disse que não iria se manifestar, a não ser que fosse questionado pela Justiça. Nossa reportagem também tentou contato com o ex-prefeito de Parintins pelo celular de final **** 6275, mas sempre caía na caixa postal.

Amjaznianarede-Tadeu de Souza/Emtempo

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.