Almoço estragado gera rebelião na cadeia Raimundo Vidal Pessoa

Amazonianarede/Redação

Manaus – Para chamar a atenção das autoridades e protestar contra a péssima qualidade da alimentação que é servida no presídio, as detentas da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, situada no centro de Manaus, iniciaram ontem um princípio de rebelião ateando fogo em colchões, produzindo reféns e ainda esfaqueando uma colega de presídio.

O fato ocorreu logo após ser servido o almoço, com as presidiárias justificando o fato alegando terem recebido alimentação estragada e imprópria para o consumo.

Para o secretário de Segurança Pública do Estado, coronel Bernardo Encarnação, a rebelião que foi iniciada nas alas A e B foi contornada por policiais militares e Corpo de Bombeiros, no presídio onde estão 322 mulheres .

O secretário na oportunidade não se manifestou sobre a alegação das detentas de que haviam recebido o almoço estragado e prometeu investigar o caso, para que se verdadeiro, providências possam ser tomadas.

Segundo o coronel afirmou, as detentas estavam armadas com estoque (arma caseira produzida dentro da prisão). Policiais da Ronda Ostensiva Candido Mariano (Rocam), Comandos e Operações Especiais (COE) e da Tropa de Choque entraram no local para tentar conter a rebelião.

As duas detentas, Leidiane Costa de Carvalho e Maria Antonia da Silva, foram liberadas e encaminhadas ao hospital por estavam com ferimentos produzidos dos por facas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.