Acadêmico de Farmácia da Uninorte descobre a resistência da bactéria da tuberculose

Manaus – O acadêmico Pedro Cordeiro de Oliveira Neto, do curso de farmácia do Centro Universitário Uninorte, está oferecendo uma grande colaboração para a comunidade científica ao concluir um trabalho onde detectou padrões de resistência da bactéria causadora da tuberculose.

Dados do Ministério da Saúde informam que até 71 mil novos casos de tuberculose são registrados por ano, no Brasil, segundo o Ministério da Saúde (MS). Causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, a doença leva à morte cerca de 4,6 mil pessoas anualmente. Na tentativa de combater a bactéria antes que ela afete os humanos, o estudante do curso de farmácia do Centro Universitário do Norte (Uninorte), em Manaus, Pedro Oliveira da Silva Neto, identificou que a aplicação de testes de sensibilidade é capaz de detectar a resistência das bactérias aos remédios que combatem a doença.

Drogas mais eficazes

“Identificando a resistência, podemos produzir drogas mais eficazes e aplicá-las diretamente nas cepas da Mycobacterium tuberculosis antes que elas afetem os humanos”, esclareceu o jovem pesquisador.

O estudo foi realizado no período de agosto de 2011 a julho de 2012 com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa de Apoio à Iniciação Científica.

Neto informou que foram identificadas 232 cepas de Mycobacterium tuberculosis na Fundação de Medicina Tropical, em Manaus, local onde realizou os testes. Do total, 44 foram submetidas a testes de sensibilidade pelo método das proporções.

“Das 44 cepas isoladas, 19 a todas as drogas testadas e as outras eram sensíveis a algum tipo de droga”, disse. Entre as cepas resistentes a uma única droga tuberlostáticas, cinco resistiram ao etambutol; três a isoniazida; e seis à estreptomicina.

O pesquisador também observou duas cepas resistentes à isoniazida e rifampicina; uma apresentou resistência a isoniazida, rifampicina e estreptomicina e em quatro cepas foi identificada resistência à associação de isoniazina, rifampicina, estreptomicina e etambutol. “Identificamos a resistência e a partir disso podemos readequar os métodos de combate à doença”, completou.

Doença

O MS define a tuberculose pulmonar como uma doença infectocontagiosa causada por uma bactéria que afeta os pulmões. A transmissão é direta, de pessoa para pessoa. O doente expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotas de saliva que contêm o agente infeccioso e podem ser aspiradas por outro indivíduo, contaminando-o.

Os sintomas mais frequentemente da doença são tosse seca e contínua com a presença de secreção por mais de quatro semanas. A tosse é acompanhada de cansaço excessivo, febre baixa geralmente à tarde, sudorese noturna, falta de apetite, palidez, emagrecimento acentuado, rouquidão, fraqueza e prostração.

Fonte: Ciência em Pauta

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.