Vibrante, RJX conquista o título da Superliga Masculina

Rio de Janeiro (RJ) – O RJX fez valer seu elenco recheado de estrelas e conquistou a Superliga Masculina, no Maracanãzinho (RJ), neste domingo.

A equipe superou o então campeão Sada Cruzeiro por 3 sets a 1, parciais de 15 a 25, 25 a 18, 25 a 18 e 25 a 14. Foi a primeira vez que um time do Rio conquistou o torneio. O último título nacional de uma equipe masculina da cidade havia sido em 1981, com a Atlantica/Boavista.

A decisão reuniu as duas principais equipes da temporada. O RJX, que participou de sua segunda edição, foi o líder da primeira fase e só sofreu um revés nos playoffs, para o Vivo/Minas, na semifinal. Já o Sada Cruzeiro apresentava o conjunto mais forte, com a base campeã em 2011/2012 e com o mesmo número de derrotas que os cariocas na primeira fase: quatro.

O Cruzeiro ditou o ritmo no primeiro set. O RJX abriu o placar e fez 2 a 0, mas os mineiros, com a força de seu conjunto, reagiram e construíram uma vantagem de quatro pontos após ace, o que obrigou o técnico Marcelo Fronckowiack a pedir tempo. Os donos da casa estavam desorganizados e tinham dificuldades para se defenderem.

As equipes passaram a errar muito na metade da etapa, o que beneficiou o Cruzeiro. No 14º ponto, a arbitragem marcou invasão do RJX e Bruninho desafiou. O uso da tecnologia comprovou a infração e o ponto foi para os visitantes, que no lance seguinte aumentaram a diferença para 15 a 8. Abatidos, os cariocas seguiram falhando e reclamando com os juízes. Fronckwoviack tentou reverter a situação colocando Da Silva e Guilherme nos lugares de Bruninho e Lucão, mas logo depois os cruzeirenses fizeram 21 a 11 e vibraram muito. Com ataque na ponta do cubano Leal, o Cruzeiro fechou o primeiro set em 25 a 15.

O RJX voltou com outra postura para o segundo set e logo fez 5 a 1. Os cariocas mantiveram a intensidade e o técnico Marcelo Mendez pediu tempo para frear o ritmo dos rivais. A pausa não fez efeito e o Cruzeiro seguiu perdendo por quatro pontos.

Atrás no placar, o Cruzeiro passou a forçar o saque e apostar em jogadas de velocidade pelas pontas. O time conseguiu um ace, mas o RJX acertou o bloqueio e diminuiu o ímpeto dos rivais com dois pontos seguidos no fundamento, fazendo 18 a 12. No fim do set, os mineiros pediam seu primeiro desafio, mas após muita discussão o ponto continuou com os cariocas. Com saque para fora de Maurício, o time da casa alcançou o set-point e confirmou a parcial após belo saque de Thiago Alves, fazendo 25 a 18 e empatando o jogo em 1 a 1.

Ao contrário das etapas anteriores, nenhuma das equipes abriu grande vantagem no início do quarto set, o mais equilibrado até então. Novamente bem no bloqueio e com um saque preciso, o RJX fez 13 a 9. A torcida passou a apoiar a cada ponto e o time ganhou confiança. Já o Cruzeiro aceitou a pressão dos cariocas e parou de atacar.

Após o 16 a 10, Mendez paralisou a partida para fazer com que seu time reagisse, mas a tentativa não deu certo. Seguros, bem diferente do início da partida, os donos da casa fecharam o set em 25 a 18 e se aproximaram da conquista do título.

A cada minuto que se passava no quarto set o RJX se aproximava mais da conquista. A equipe abriu quatro pontos de vantagem logo nos primeiros cinco minutos e só a aumentou, chegando a metade com 16 a 8 e começou a ouvir gritos de “é campeão” da torcida. No fim, a taça foi garantida por Theo, que em ace fechou o jogo em 25 a 14.

Fonte – Lancenet

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.