Venezuela: Brasileiros são barrados na fronteira

Pacaraima, RR – O fechamento da fronteira entre Brasil e Venezuela é um procedimento de praxe adotado pelo governo venezuelano às vésperas de eleições.

No entanto, a antecedência com que a medida foi tomada desta vez pegou muitos brasileiros de surpresa. As eleições presidenciais no país vizinho acontecem no domingo, 14, e desde a terça-feira, 09, o trânsito entre os países está impedido, até as 12h da próxima segunda-feira, 15.

A Guarda Nacional Venezuelana não está permitindo sequer a passagem de pedestres pela fronteira. O fato surpreendeu vários brasileiros que iam visitar a cidade de Santa Elena de Uairén, causando transtornos a moradores das duas cidades, que mantém relação comercial.

O secretário estadual de Assuntos Internacionais, Eduardo Oestreicher, explicou que a fronteira estará aberta apenas para brasileiros que estejam na Venezuela e retornem para o Brasil e vice-versa. O trânsito também está liberado para quem tem dupla nacionalidade, desde que seja apresentada cédula de identidade venezuelana. “A quem precisar realizar alguma viagem a Santa Elena de Uairén ou outra localidade na Venezuela, a indicação é que faça a viagem na próxima semana”, orientou.

Esta é a primeira vez que a Venezuela fecha a fronteira por tanto tempo, de modo a não permitir até mesmo o trânsito de pedestres. O comandante da Guarda Nacional em Santa Elena de Uairén, Coronel Quiñones, informou que não foi uma decisão municipal, e sim uma ordem do Ministério da Defesa. A medida foi tomada de igual forma na fronteira com a Colômbia, onde desde a manhã de terça-feira o trânsito já estava fechado.

Os funcionários da Guarda Nacional do país vizinho estão permitindo o tráfego apenas dos ônibus escolares brasileiros que transportam crianças que estudam em Pacaraima e moram em Santa Elena bem como em casos excepcionais.

De acordo com o major Sarcos, os guardas não podem ser tão radicais, pois a movimentação da fronteira é necessária em casos de educação e saúde. “Estamos ouvindo algumas pessoas e autorizando alguns casos excepcionais”, explicou o funcionário da Guarda Venezuelana.

Restrição gera revolta em turistas brasileiros

Os turistas brasileiros estão sendo obrigados a voltar, situação que gerou revolta. Apenas venezuelanos que precisavam viajar a Boa Vista, por questão de saúde, foram liberados para atravessar a fronteira, além daqueles que trabalham em Santa Elena e moram em Pacaraima.

Para o comerciante Rizidio Alves da Rocha, a situação é absurda. Ele veio desde Caracaraí para passear com a família e fazer compras. “Agora temos que voltar, gastamos gasolina, dinheiro com outras despesas. Foi um grande desgaste chegar aqui e saber que não poderemos entrar na Venezuela”, reclamou.

Segundo a dona de casa Maria da Silva, várias famílias de Boa Vista e também de Manaus (AM) estiveram na aduana venezuelana tentando atravessar a fronteira, sem sucesso. “Eu espero que o Consulado do Brasil venha resolver esse problema, é um abuso, já que a eleição é somente no domingo”, protestou.

A empresária venezuelana Ingard Brant, moradora de Santa Elena, avaliou a medida como exagerada e que prejudica o comércio local, sustentado principalmente por turistas brasileiros. “Sempre fomos exemplos de países vizinhos. O movimento da fronteira é de comum benefício para as duas cidades.”, salientou.

A situação gerou um impasse diplomático que levou pessoas a buscarem informações no Consulado venezuelano em Roraima. Foi o caso do empresário Wisley Babora, que está com passagens compradas para ir à China, partindo de Caracas, capital da Venezuela. “É um absurdo, pois estou com a passagem comprada há 20 dias. Mas, de qualquer forma, vou arriscar”, disse.

Fonte – Folha BV

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.