Vasco, acaba o jejum, vence o Flamengo e inicia corrida para sair da Zona perigosa

Deu |Vasco contra o Fla, na Arena Pantanal
Deu |Vasco contra o Fla, na Arena Pantanal
Deu Vasco contra o Fla, na Arena Pantanal

Cuiabá – Nove rodadas depois, enfim, o gosto da vitória. Magra, por 1 a 0, gol de Riascos. Com contornos dramáticos, o Vasco venceu o rival Flamengo neste domingo, no clássico disputado na Arena Pantanal, em Cuiabá, e deixou a lanterna do Campeonato Brasileiro.

Na estreia de Celso Roth no comando do time, os vascaínos deixaram para trás a sequência de cinco derrotas consecutivas e chegaram aos seis pontos no campeonato, ocupando agora o 19º e penúltimo lugar. Já o Flamengo perdeu pela sexta vez em nove rodadas da competição e soma sete pontos, em 17º lugar, dentro da zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, o Vasco volta a campo contra o Avaí, em São Januário, na quarta-feira, às 19h30. Já o Flamengo, no mesmo dia, vai até a Arena Joinville, enfrentar o lanterna da competição, às 21h50.

O jogo

Devido aos histórico das equipes na competição não era mesmo de se esperar um clássico virtuoso, com variações táticas e jogadas de técnica. Pelo contário. Mas, ainda assim, o início assustou. Um verdadeiro show de mediocridade desfilou na Arena Pantanal, de parte a parte. Erros de passes, chutões, chutões e….chutões. A famosa ligação direta. De dar sono.

Com isso, um lance de perigo só poderia vir mesmo de um erro crasso do adversário. Pois foi o que ocorreu aos seis minutos, quando Anderson Salles foi cortar uma bola no meio de campo e furou de forma bisonha. Everton roubou a bola, entrou na área pela direita e foi travado por Rodrigo na hora do arremate.

O time de Cristóvão Borges, no entanto, estava longe de ser melhor em campo. Era uma bagunça completa. Cheio de espaços, no meio e na defesa, com um posicionamento confuso no ataque, Everton pela direita, nenhuma criação. E Anderson Pico, em noite desastrosa na Arena Pantanal. Bastava ao Vasco ser menos pior do que isso. Não era difícil.

O estreante Celso Roth deixou o time vascaíno à sua cara. Um time bem brigador, com marcação e consciente de sua limitação. As chances seriam poucas. E, por isso, deveriam ser aproveitadas. E com tanta incapacidade técnica em campo, as falhas não eram raras. Sorte do Vasco. Aos 15 minutos, Madson foi à direita e passou como quis por Pico, que escorregou no lance. O lateral cruzou na área e Riascos, absolutamente sozinho na grande área, teve tranquilidade para completar o cruzamento de cabeça, no fundo da rede de Cesar. 1 a 0.

O Vasco era superior diante de um Flamengo que batia cabeça. Aos 26 minutos, o segundo lance de perigo na partida. Riascos lançou Gilberto na entrada da área, pela esquerda. O atacante avançou e bateu de esquerda, para fora. A torcida rubro-negra, em maioria no estádio, perdeu a paciência, principalmente com Anderson Pico, que errava até a passada da caminhada em campo. E tome vaia. O Vasco manteve a marcação no meio de campo e desceu ao vestiário com a vitória parcial.

No segundo tempo, Cristóvão Borges tentou sair da inércia ao sacar Anderson Pico, recuar Everton e colocar Alan Patrick em campo. O Flamengo melhorou. Com o meia à frente da área, a bola ficou mais nos pés rubro-negros e chegava mais ao ataque. O Vasco mantinha a estratégia de pressionar a marcação. O jogo se equilibrou.

Aos seis minutos, Alan Patrick fez boa jogada e rolou para Canteros bater próximo ao gol de Charles, mas a bola foi para fora. Com o Vasco cansado, Roth partiu para as substituições. Jhon Cley e Riascos saíram para as entradas de Rafael Silva e Thalles, respectivamente. Do outro lado, Cristóvão respondeu com Marcelo Cirino na vaga do inoperante Eduardo da Silva.

O Flamengo passou a ter mais posse de bola, rondando a área do Vasco, que fechava muito bem o meio de campo e esperava um contra-ataque para tentar matar o clássico. Mas o panorama continuava o mesmo. Na tentativa de dar maior força ao time, Cristóvão inovou: sacou Everton, que jogava de lateral-esquerdo, e colocou Paulinho em campo. Em campo permaneceram os três volantes, com um deles na lateral esquerda: Márcio Araújo.

Com uma dor na coxa esquerda, Gilberto deu lugar a Lucas, volante. Celso Roth deu o sinal para segurar o Flamengo ainda mais. O time tentava. Aos 34 minutos, Alan Patrick pegou a sobra de um escanteio pelo lado esquerdo e bateu forte. Charles defendeu bem e mandou a escanteio.

Sheik, já impaciente, recuava para tentar armar o jogo. Conseguiu algumas boas enfiadas de bola, como aos 42 minutos para Luiz Antonio, que cruzou na área e causou alvoroço na zaga vascaína. No bate-rebate, Rodrigo mandou para escanteio.

Com o passar do tempo, o jogo virou ataque contra defesa. Mas o Flamengo, sem técnica, apenas lançava bola na área. Coube ao Vasco se segurar, o que fez bem. Fim de jogo na Arena Pantanal. Alívio vascaíno, justamente sobre o maior rival. Gosto especial.

FICHA TÉCNICA: VASCO 1 X 0 FLAMENGO

Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT) Data: 28 de junho de 2015 Horário: 18h30 Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-SC) Assistentes: Kléber Lúcio Gil (Fifa-SC) e Guilherme Dias Camilo (Fifa-MG) Cartões amarelos: Serginho, Charles e Jhon Cley (VAS) Gol: Riascos (VAS), aos 15 minutos do primeiro tempo

VASCO: Charles; Madson, Rodrigo, Anderson Salles e Christiano; Guiñazú, Serginho, Jhon Cley (Rafael Silva) e Julio Cesar; Riascos (Thalles) e Gilberto (Lucas) Técnico: Celso Roth

FLAMENGO: Cesar; Luiz Antonio, Wallace, Samir e Anderson Pico (Alan Patrick); Jonas, Márcio Araújo e Canteros; Everton (Paulinho), Emerson e Eduardo da Silva (Marcelo Cirino) Técnico: Cristóvão Borges

Amazonianarde-Uol esportes

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.