Unidade móvel fará teste de HIV, na capital

UMS farão testes de HIV em Manaus

UMS farão testes de HIV em Manaus
UMS farão testes de HIV em Manaus

Manaus deverá ter uma Unidade Móvel de Testagem de HIV por fluido oral e gota de sangue, informou a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) na sexta-feira (8). A Unidade irá percorrer pontos estratégicos de encontro a jovens e em horários diferenciados, à noite e aos fins de semana para a realização dos testes rápidos e distribuição de preservativos.

Além da Unidade, a Semsa deve oferecer orientações sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). A iniciativa tem o objetivo de diminuir os casos de Aids até 2020, compromisso firmado pela “Declaração de Paris”, documento assinado em dezembro do ano passado.

Com a Declaração, a capital amazonense pretende acelerar a resposta para alcançar as metas 90-90-90 do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/AIDS (UNAIDS) que almejam que 90% das pessoas vivendo com HIV/AIDS conheçam seu diagnóstico. “Que 90% das pessoas que sabem de sua soropositividade recebam tratamento antirretroviral; e que 90% das pessoas que estão em tratamento tenham sua carga viral suprimida, mantendo-se saudáveis e reduzindo o seu risco de transmissão do HIV”, informou a Semsa.

Índices

Em 2015, foram notificados em Manaus 1.403 casos de Aids, 138 a menos que em 2014,  o que aponta uma diminuição de 8,9%. Houve, porém, um aumento de 21,3% entre jovens de 15 a 19 anos. “Temos 89 Unidades Básicas de Saúde fazendo o teste rápido de HIV e vamos implantar esse ano também o exame nas unidades da Estratégia Saúde da Família, além de reforçar as orientações para evitar a doença. Tivemos uma diminuição em 62,5% no número de casos de Aids em crianças menores de cinco anos e aumentou 10,7% o número de casos em gestantes com HIV.

Em 2015 foram realizados 59.447 testes para HIV e distribuídos quase seis milhões de preservativos masculinos, portanto a prevenção é a palavra de ordem”, informou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto. Segundo o secretário, a utilização dos testes rápidos permitem atender à crescente demanda pelo diagnóstico de agravos relevantes à saúde publica, visto que sua utilização aumenta a agilidade da resposta aos indivíduos e permite seu rápido encaminhamento para assistência médica e início de tratamento.

Capacitação

Na segunda quinzena deste mês de janeiro a Semsa começa a capacitação para atendimento a usuários que vivem com o HIV. A partir do dia 18, profissionais de saúde de quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS), uma em cada zona da cidade, irão iniciar o treinamento.

Com isso, o acesso ao teste será facilitado para a população
Com isso, o acesso ao teste será facilitado para a população

Outra estratégia que terá continuidade é a parceria com Organizações Não Governamentais (ONGs) para oferta de teste rápido de detecção do HIV. Atualmente a ação é realizada junto a duas entidades. Uma é a Associação Garotos da Noite, que oferece a testagem, aos sábados, na sede da ONG. A outra é a Rede de Amizade e Solidariedade às Pessoas Vivendo com HIV/Aids, que oferece o exame em pontos de grande circulação como feiras.

Saliva

O teste da saliva do HIV é feito com um cotonete especial que é passado na gengiva e na bochecha do paciente para coletar uma amostra de líquido e células que será avaliada no teste.

O resultado sai após cerca de 30 minutos, e este teste deve ser feito pelo menos cinco dias depois do comportamento de risco, que pode ser o contato íntimo sem camisinha ou uso de drogas injetáveis, por exemplo, e deve-se estar pelo menos há 30 minutos sem comer, beber, fumar e escovar os dentes, além de ser necessário retirar o batom, no caso das mulheres.

Sangue

O teste do sangue do HIV é feito com uma gota de sangue através de uma picada no dedo do paciente, da mesma forma que é feito o teste de glicemia para diabéticos. Essa gota de sangue é colocada no aparelho do teste e após cerca de 20-30 minutos o resultado sai, sendo negativo quando apenas uma 1 linha vermelha surge no equipamento, e positivo quando aparecem 2 linhas vermelhas.

É importante lembrar que ambos os testes rápidos do HIV são confiáveis, tendo resultados com 99% de acerto. No entanto, nos casos em que o resultado do teste é positivo, deve-se fazer o exame de sangue convencional para confirmar a presença do HIV e encaminhar o paciente para os Centros de Tratamento Especializado, onde o tratamento é feito com o apoio de uma equipe composta por médico, psicólogo e assistente social.

Amazonianarede-Semsa

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.