Turistas são assaltados na Venezuela e motorista de ônibus é espancado

Mais um grupo de turistas brasileiros que seguia rumo a Ilha de Margarita e outras cidades na Venezuela, país que faz fronteira com o Brasil, foi assaltado por um bando de pelo menos oito ladrões que interceptaram o veículo na autopista, 16 quilômetros antes de chegar a Ciudad Bolívar.

Um dos motoristas foi espancado e está internado no Hospital Geral de Roraima (HGR).

No ônibus havia 46 pessoas, sendo dois motoristas e 44 passageiros brasileiros e venezuelanos. Segundo a Folha apurou junto a alguns dos sete passageiros que retornaram ao Brasil desistindo de passar férias na ilha e também com o gerente da empresa, Vanderlei Araújo, o assalto ocorreu por volta da 1h da madrugada do último sábado, próximo a uma alcabala (posto de controle) da Guarda Nacional Venezuelana.

O bando, que estava escondido no mato, efetuou um disparo de arma de fogo em um dos pneus, obrigando assim os motoristas pararem o veículo. Ao descer para trocar o pneu, acreditando que tivesse apenas furado, os funcionários da empresa foram surpreendidos. Um deles foi mantido refém na cabine e o outro levado para a parte de trás, próxima aos bagageiros.

A estudante Jaqueline Carneiro do Nascimento, 24, narrou por telefone todo o desespero que passou junto aos amigos e familiares e os minutos de horror enfrentado pelo grupo. Ela teve todos os seus pertences roubados.

“A maioria dos passageiros dormia quando o veículo parou. A princípio, não percebi nada estranho, mas de repente entraram dois desconhecidos armados, de cara limpa. Aos berros, eles exigiam dinheiro. Todas as pessoas se apavoraram, algumas sobressaltadas por serem acordadas daquela maneira mal sabiam o que realmente estava acontecendo”, explicou Jaqueline.

Enquanto os passageiros eram obrigados entregar todos os pertences de valor, como joias, relógios, bolsas com dinheiro e documentos, máquinas fotográficas e celulares, o motorista que foi levado para a parte de trás do carro foi severamente agredido.

“Todo sistema de ar do carro vazou no momento em que o pneu foi atingido pelo disparo e isso naturalmente trava os bagageiros. Como o restante do bando não conseguia destravar as portas, nosso funcionário apanhou muito”, explicou o gerente.

A ação só foi interrompida cerca de 20 minutos depois, quando na outra parte da autopista passou uma viatura de polícia. Os policiais estranharam o veículo parado no local e resolveram voltar para averiguar o que estava acontecendo. Nisso, os ladrões fugiram com apoio de um veículo que os levou para longe dali.

Passado o susto, as vítimas que decidiram seguir viagem assim o fizeram e aqueles que, como Jaqueline e os amigos, retornaram para o Brasil em um microônibus fretado pela empresa.

Na noite de sábado, o grupo chegou a Santa Elena. “Recebemos todo o apoio, desde a hospedagem como alimentação e transporte até Boa Vista. Estou amedrontada, não sei se um dia voltarei lá. Essa violência contra o turista tem que acabar, as polícias tem de unir forças contra essa selvageria. No nosso caso, graças a Deus ninguém foi assassinado, mas e se isso tivesse ocorrido, hoje era apenas mais uma família chorando e os assaltantes soltos, livres para agirem normalmente”, pontuou Jaqueline que, junto com o grupo, chegou ontem a Roraima.

Quanto ao estado de saúde do motorista que por segurança não terá o nome revelado, ele permanece sob cuidados médicos na unidade de saúde. O caso deverá ser comunicado ao consulado venezuelano ainda nesta segunda-feira.

(Folha BV – DANIELA MELLER) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.