Torre de Babel

Osny Araújo
   Parece que os companheiros do PT estão na torre de babel, ou seja, não falam a mesma língua e ainda assim, resolveram fazer uma competição de cabo de guerra para ver que assume a direção estadual do Partido dos Trabalhadores que hoje tem o comando do ex-senador João Pedro, o queridão do Palácio do Planalto no Amazonas.

Na verdade, a situação política do PT no Amazonas é complicada e porque não dizer embaraçosa. Politicamente o partido é situação e oposição ao mesmo tempo e isso, deixa algumas correntes do partido aborrecidas e desgastadas, por isso, as coisas no seio petista caminham meio complicadas considerando essa falta de definição política ou de postura do partido. Ou é Governo ou oposição e ninguém tem resposta para isso.

Vamos rememorar um pouco a situação do PT no Estado. O governador Omar Aziz, aliado político do Governo Federal que por seu turno entregou liderança do Executivo na Assembleia Legislativa ao deputado Sinésio Campos, do PT, que não consegue comandar os seus companheiros na ALEAM e na Câmara Municipal de Manaus, onde dois companheiros com mandatos, se mantém inteiramente oposição ao Governo do Estado e isso, vem gerando um sério desgaste político ao partido.

Com a aproximação da eleição da nova direção regional, as coisas estão ficando azedas e os desentendimentos aumentam e tudo fomentado pela vontade ferrenha do deputado estadual José Ricardo, oposição declarada ao Governo do Estado, que quer a todo custo, assumir o comando do Partido no Amazonas que hoje ó ocupado pelo senador João Pedro, que por seu turno, deseja permanecer no posto e ao que parece, essa é a vontade da maioria dos companheiros.

José Ricardo, precisa e deve pensar com mais cautela antes de bater o pé em torno dessa posição, levando em consideração que segundo os próprios companheiros, a sua rejeição é bem grande no partido e isso, certamente tornará essa caminhada ainda mais difícil, mesmo contando com a participação do seu fiel escudeiro e aliado, vereador Wladimir José.

José Ricardo, teria confidenciado a amigos que não tem força terrena que faça desistir de brigar pela presidência do partido do Amazonas e nem mesmo pedidos de Lula e Dilma farão ele mudar de posição. Será? Dizem as más línguas, que quem tem espinha dorsal tem medo. É melhor esperar para ver o que acontece e como as cosias se comportarão.

Em minha opinião à distância, entendo que tudo terminará bem e João Pedro deverá continuar no posto sonhado por José Ricardo Wendling. Alias os entendidos em política partidária, afirmam que nesse campo a matemática só tem duas operações: Somar e multiplicar e nunca, dividir ou subtrair.

Até o momento João Pedro, político que sabe perfeitamente ser oposição e Governo vem se mantendo meio afastado dessa confusão que está sendo fomentada por José Ricardo. Anda calado, mas como de bobo o João não tem nada, na hora H, deverá colocar a cara no campo de batalha e dar o xeque-mate com o apoio que certamente virá ao grande escala de Brasília e aí, o Zé terá que enfiar a viola no saco ou procurar o agasalho partidário em outra agremiação, como já teria aconselhado pelo deputado Sinésio Campos, líder do Governo na Assembleia Legislativa do Estado. Como em política tudo é possível, vamos aguardar o desenrolar dos acontecimentos.

(Postagem simultânea nos sites: Noticianahora, Amazonianarede, Tadeudesouza e blog Jornalismo Eclético).
Osny Araújo é jornalista e analista político.
E-mail: [email protected][email protected]

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.