Tomé-Açú-PA: polícia já tem suspeitos de atentado a prefeito

(Foto: Divulgação)

Testemunhas já identificaram os ocupantes de um Honda Civic que, na noite do último sábado, dispararam três tiros contra a residência do prefeito de Tomé-Açu, Josehildo Taketa Bezerra (PT).

Com base nos relatos das testemunhas, a polícia intensificou as investigações para prender a qualquer momento os executores do atentado e eventual mandante. Uma das testemunhas também teria identificado o atirador, que estaria refugiado na zona rural do município. Bezerra escapou por pouco de morrer.

Quem planejou o atentado sabia que ele tem o costume de ficar assistindo televisão na sala do segundo andar do prédio de três andares, em cujo primeiro andar funciona uma emissora de rádio da família. No último andar da propriedade reside o pai de Bezerra, que ficou muito assustado com o que ocorreu. O prefeito estava na residência no momento do atentado. O delegado de Tomé-Açu, Cláudio Gomes, que preside o inquérito, informou que o carro parou em frente à residência e os disparos foram efetuados. As balas atingiram uma porta de vidro que fica na varanda da casa, que dá acesso à sala. Uma perícia foi feita no local, que deverá apontar a arma utilizada.

Levado para uma reunião na Secretaria de Segurança Pública com o secretário Luís Fernandes, o delegado-geral, Rilmar Firmino, e o delegado do interior, Silvio Maués, pelo deputado Carlos Bordalo, líder do PT na Assembleia, Legislativa, Bezerra contou que vinha recebendo ameaças telefônicas de morte e recados e que estava temeroso de que algo pudesse lhe acontecer. Diante das declarações do prefeito, Fernandes e Firmino informaram-no de que ele e sua família teriam à disposição uma segurança policial.

Essa segurança deve acompanhar o prefeito aonde ele for, inclusive em sua rotina de despachos no prédio da prefeitura de Tomé-Açu. Antes de ir à Segup, Bezerra esteve com o presidente da Alepa, Márcio Miranda, narrando o clima de medo no município. “Não podemos aceitar esse clima de violência no município e estamos cobrando providências do governo estadual para que a população de Tomé-Açu tenha um pouco de paz”, afirmou Bordalo.

Segundo o deputado, o problema é que ainda viceja na região onde está localizado o município o velho e histórico conceito de se querer “resolver tudo na bala”.

Impunidade

Para Bordalo, o que ocorre tem o reforço da impunidade dos criminosos e também do problema social vivido com a implantação de um megaprojeto de exploração do dendê na região. “Esses projetos são bons porque geram desenvolvimento, mas trazem também eventos e situações que agravam a questão social e suas carências, que não são resolvidas”, acrescentou o petista.

Ele prometeu fazer nesta terça-feira, da tribuna da Alepa, um pronunciamento sobre a tentativa de homicídio contra Bezerra e também contra a violência que domina o Pará a ponto de ela transformar o estado, de acordo com estatísticas oficiais, no segundo mais violento do país, atrás apenas de Alagoas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.