Socialite Marcelaine é flagrada em restaurante apesar de proibida pela justiça

Marcelaine agora está morena e poderá ter benefício revogado
Marcelaine agora está morena e poderá ter benefício revogado
Marcelaine agora está morena e poderá ter benefício revogado

Manaus – Marcelaine Santos Shumann, que está em liberdade provisória monitorada por tornozeleira eletrônica, foi flagrada almoçando na companhia de uma amiga, por volta das 13h desta quinta-feira (30), em um restaurante, na Avenida Djalma Batista. De acordo com o juiz da 3ª Vara do Tribunal do Júri, Mauro Antony, a suspeita não pode frequentar esse tipo de ambiente e, caso fique comprovado que a socialite infringiu o perímetro estipulado pela Justiça para locomoção dela, o benefício poderá ser revogado, o que pode culminar em uma nova prisão preventiva.

De acordo com o juiz, Marcelaine assinou um termo de compromisso e, por conta disso, existem impedimentos para que ela frequente locais proibidos pela Justiça. Consta, na secretaria da 3ª Vara do Tribunal do Júri, que Marcelaine não pode frequentar bares, restaurantes, academias, casas de shows e shoppings. O juiz confirmou a informação, mas ressaltou que só poderá analisar o caso, se chegar a ele uma denúncia formal. “A denúncia da transgressão tem que estar no processo. Só assim eu posso tomar as providências”, disse Antony.

Em documento disponível no site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), está especificado que o monitoramento eletrônico da suspeita de ter mandado matar a universitária Denise Almeida,  se limita ao endereço residencial e profissional. Ela também deve se recolher ao endereço residencial das 19h às 8h, no período de segunda a sábado, e permanecer em casa, aos domingos. Qualquer mudança no itinerário estabelecido deverá ser comunicada à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Mudança
Marcelaine, que à época da prisão estava com os cabelos loiros, estava morena, nesta quinta, no restaurante, e vestida com uma calça estilo moletom, que encobria a tornozeleira eletrônica. Depois de cerca de 45 minutos, ela saiu do local, dirigindo uma Mercedes, de cor prata.

Questionado, o secretário da Seap, Louismar Bonates, não soube informar o perímetro que deve ser obedecido por Marcelaine e que não poderia informar à imprensa se houve infração.

Marcelaine foi presa, em 5 de janeiro deste ano, por suspeita de encomendar a morte de Denise, em novembro de 2014. Ela nega envolvimento no crime. D24AM

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.