Servidores da Ufam vão parar as atividades no dia 11 de julho

Manaus – Os professores e técnico-administrativos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) atenderam ao chamamento do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) e Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra) e decidiram suspender as atividades no dia 11 de julho, data programada para realização do ‘Dia Nacional de Lutas com Greves e Mobilizações’ de várias categorias do serviço público federal.

A decisão dos professores foi tomada em Assembleia Geral nesta terça-feira (2), na sede da Associação dos Docentes da Ufam (Adua), após avaliarem que o momento de manifestações pelo qual passa o Brasil é propício para a retomada da pauta de reivindicação da maior greve do movimento docente de 2012: a reestruturação da carreira e melhores condições de trabalho nas universidades públicas.

“O país está sendo ‘sacudido’ nestes últimos dias pela população em resposta às provocações do governo, que vem desmantelando os serviços públicos, com ações de precarização. As universidades e as escolas estão cada vez mais sucateadas”, criticou o presidente da Adua, José Belizario, acrescentando que na pauta dos professores está também a defesa da aplicação imediata de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) na educação pública.

Já os técnico-administrativos decidiram pelo apoio ao movimento de paralisação nacional em Assembleia Geral realizada nesta quarta-feira (3), realizada no auditório Rio Solimões, no Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL). “Essa paralisação é uma orientação nacional diante da conjuntura que estamos convivendo, que também é uma luta nossa!”, afirmou a diretora de Comunicação do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Superior do Estado do Amazonas (Sintesam), Crizolda Araújo.

Na pauta de luta dos técnicos está, entre outras reivindicações, a retomada das negociações com o governo, para que haja o cumprimento de acordos estabelecidos ano passado.

Os servidores da Ufam vão integrar as atividades conjuntas previstas em todo o país, organizadas pelas oito centrais sindicais brasileiras CSP-Conlutas, CUT, UGT, Força Sindical, CGTB, CTB, CSB e NCST, além de participação do MST, o Dieese, o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (SPF) e outros setores articulados no âmbito do Espaço de Unidade de Ação, do qual faz parte o Andes-SN.

Foto: Divulgação/ADUA

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.