Semasdh faz repasse de doações e lança projeto de solidariedade

Manaus – A primeira-dama do Município e secretária de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), Goreth Garcia Ribeiro, realizou na manhã desta segunda-feira, 17, o repasse das doações arrecadas durante o seu aniversário para as instituições envolvidas na ação de solidariedade. Ela também lançou o projeto “À Manaus com Amor”.

“Esse movimento vai abranger várias áreas sociais, porque a nossa visão de cidade é a das pessoas que fazem a cidade, incluindo os jovens vulneráveis às drogas, as crianças em risco social, pessoas com deficiência, enfim, a nossa preocupação vai do social ao ambiental e ao cultural. A gente quer que a cidade cresça e as pessoas se sintam bem cuidadas em todos os sentidos”, destacou Goreth Garcia.

O repasse oficial das doações foi realizado na Casa Mamãe Margarida, bairro São José II, zona Leste de Manaus. Mais de R$ 120 mil foram doados para as quatro instituições de caridades escolhidas para participarem do aniversário solidário, que aconteceu no dia 27 de maio.

A maior parte das doações foi feita em dinheiro e cheques. A Casa Mamãe Margarida recebeu o maior valor, R$ 54, mil por ser uma das instituições com maior dificuldade financeira.

“Esse dinheiro vai ajudar na folha de pagamento do pessoal, que hoje é a nossa maior dificuldade, pagar os técnicos e as pessoas que trabalham conosco. Também vamos aproveitar para, se possível, também pagarmos alguns fornecedores”, explicou irmã Liliana Daou, diretora da Casa Mamãe Margarida.

Também foram beneficiados o Lar Batista Janell Doyle, com R$ 33,8 mil; as Aldeias SOS e a Fundação de Apoio às Instituições de Proteção a Pessoa com Deficiência (Fada), com R$ 16 mil, cada uma.

“Essa ação para nós é um diferencial muito grande, pois nos ajudará a pagar os nossos o pessoal. A maior dificuldade de qualquer instituição de caridade é justamete pagar pessoas para cuidar de pessoas. Esperamos que essa atitude se multiplique em muitas outras”, comentou Magaly Araújo, diretora do Janell Doyle.

Para a Assistente Social das Aldeias SOS, Ilka Lemos, o repasse ajudará no andamento do programa como um todo, pois pagará vários serviços necessários para que os abrigos possam melhorar as instalações e conquistar novos convênios.

“Só o nosso serviço de dedetização custa mais R$ 5 mil, que é de fundamental importância para que consigamos o selo do Departamento de Vigilância Sanitária (DVisa), indispensável na concorrência de novos convênios”, ressaltou Ilka, informando ainda que as Aldeias SOS cuidam de 61 crianças e adolescentes no acolhimento institucional e de 350 no regime educacional meio aberto.

“Esse dinheiro, realmente, veio em ótima hora. Vamos utilizar a verba recebida para uma reforma prédio da Fada, que está com problemas de infiltração e goteiras. Além disso, vamos investir em alguns equipamentos que estão em falta no nosso Centro de Fisioterapia, que é o nosso carro chefe”, comemorou Lúcia Rosas, presidente da Fada, que atende, aproximadamente, 200 crianças portadoras de deficiências e oriundas de famílias carentes.

Reportagem: Alita Falcão / Foto: Tácio Melo 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.