Seinfra anuncia reforma estrutural no Terminal Pesqueiro de Manaus

A novidade, foi anunciada pela secretária Waldívia alencar
A novidade, foi anunciada pela secretária Waldívia alencar
A novidade, foi anunciada pela secretária Waldívia alencar

mazonas – Após obras de oito anos, o Terminal Pesqueiro de Manaus , localizado no Centro de Manaus, precisará passar por reforma estrutural antes de ser inaugurado oficialmente. Um laudo realizado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura do Amazonas (Seinfra) aponta que o local apresenta falhas que podem resultar em riscos a trabalhadores e frequentadores da área. As obras no Terminal foram finalizadas em 2013.

De acordo com a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), o Terminal Pesqueiro custou R$ 20 milhões. A obra chegou a ser embargada pela Justiça por falta de definição sobre a posse do terreno. Atualmente, o local é usado por pescadores e vendedores, mesmo sem a abertura oficial do Governo Federal.

A secretária da Seinfra, Waldívia Ferreira Alencar, informou que a elaboração do laudo técnico ocorreu após uma solicitação do Governo. Com o parecer em mãos, o Ministério da Pesca e Aquicultura deve decidir as providências a serem tomadas em relação ao local.

“Delegamos um perito para analisar o local. O laudo aponta, sim, uma preocupação, mas nada exagerado. Não tem nada caindo, quebrando ou apresentando risco de matar alguém. Porém, vimos que existe o afundamento de uma área do chão do terminal, além de fissuras nas paredes”, contou.

O terminal pesqueiro de  Manaus, sofrerá reforma estrutural
O terminal pesqueiro de Manaus, sofrerá reforma estrutural

A secretária explicou que o afundamento ocorreu em uma área feita com um material altamente resistente, chamado de korodur. O problema, segundo ela, aconteceu por conta de uma fraca estrutura de apoio.

“Isso aconteceu porque a base e a sub-base não foram compactadas, então elas cederam e, se a base cede, o que está em cima vai ceder também. É inevitável”, explicou.

Waldívia ressaltou ainda que, para evitar o problema, o korodur (material utilizado em piso) deveria ter sido compactado e contado com o auxílio de uma malha de ferro devido às altas cargas que circulam pelo local.

Mesmo após apontar que as falhas do local não oferecem risco à vida, a Seinfra aconselhou que o Ministério não inaugure o terminal sem que a revitalização seja realizada. Segundo a secretária, o laudo já foi encaminhado ao Ministério da Pesca para análise.

“Vimos fissuras nos cantos de parede, na laje com a viga. Por mais que possa funcionar, isso poderia intensificar os problemas estruturais. Por exemplo, tem uma parede que está trincando. Se algo forte bater ali, ela pode cair”, contou.

A secretária afirmou que não pôde estipular um valor aproximado da reforma que será feita, já que o Ministério não solicitou dados sobre orçamento.

Uso do terminal

O ministro de Pesca de Agricultura, Helder Barbalho, afirmou à imprensa local que o uso correto do Terminal Pesqueiro de Manaus deve ser definido ainda em 2015. “Queremos segurança estrutural para que não haja risco. Contratamos um projeto executivo que está [verificando] quais servicos serão feitos neste trerminal”, afirmou, em entrevista à Rádio Amazonas.

Outra visão do  Terminal Pesqueiro
Outra visão do Terminal Pesqueiro, na área  central de Manaus

Barbalho contou ainda que o Governo Federal atuará em outras partes do Estado para otimizar a atividade pesqueira na região. Segundo ele, terminais de menor porte em municípios do interior devem receber novo tratamento também.

“O Amazonas tem um importante vetor que se soma à atividade industrial tão importante da Zona Franca. Com essa compreensão, queremos desejar que exista estrutura necessária no terminal de Manaus, e de outros menores no interior também. Além disso, queremos reativar 11 fábricas de gelo que estão sem funcionamento. Com isso, queremos criar competitividade para que o preço possa cair”, explicou.

Amazonianarede-Diego Toledano /G1

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.