RO: justiça mantém mais 11 presos da Apocalipse

Após 20 dias de prisão, pelo menos 11 presos na Operação Apocalipse tiveram negado ontem pedido de Habeas Corpus na sessão de julgamento extraordinária da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, em Porto Velho.

Conseguiram a liberade, Roberto Rivelino Guedes Coelho, filho do presidente afastado da Assembleia Legislativa, deputado Hermínio Coelho; Marilene Carvalho dos Santos, gerente da J.F de Oliveira Navegação; Maria Margarete da Silva, acusada de ser “laranja” da organização criminosa; e Edivaldo Braga da Silva.

Foi negado o pedido de liberdade do jornalista Herbert Lins de Albuquerque, presidente do PHS em Rondônia; Vagner Silva de Oliveira, filho de Margarete e acusado de estelionato; Mark Henrique Ferreira Albernaz, Thales Prudêncio Paulista de Lima, acusado de lavagem de dinheiro por meio de uma concessionária de veículos; Waldemir Castro de Oliveira, Anderson Medeiros de Morais, Andres Fernandes Dias, Sidney Costa Lima, Carlos Eduardo Moraes de Brito, Valdirene Márcia de Castro e Andréia Argemiro de Macêdo Braga. Sobre Adriana Argemiro de Macêdo, a Justiça decidiu que cumprirá prisão domiciliar por ter uma criança menor de dois anos e pelo fato de o seu companheiro também estar preso. Para amanhã são esperados novos julgamentos a ser divulgados pela Câmara Criminal.

Mais de 200 medidas cautelares foram cumpridas

Por ocasião da deflagração da Operação Apocalipse, no último dia 4, cerca de 230 medidas cautelares, entre mandados de busca e apreensão, prisões preventivas e indisponibilidade de bens foram expedidas pela Justiça. O esquema contava com a participação de políticos, empresários, servidores públicos e até um policial civil, que teve mandado de prisão temporária cumprido. Entre os presos estão também Alberto Ferreira Siqueira, o “Beto Baba”, José Fernandes, o ‘Fernando da Gata’, ambos considerados chefes da quadrilha; os vereadores de Porto Velho, Jair Montes (PTC), também apontado como líder da organização; Marcelo Reis e Eduardo Carlos Rodrigues, ambos do PV. Os vereadores Pastor Delson Moreira (PRB) e Cabo Anjos (PDT) tiveram cumprido mandado de busca e apreensão em seus gabinetes, enqaunto os deputados estaduais, Hermínio Coelho (PSD), Jean Oliveira (PSDB), Cláudio Carvalho (PT), Ana da 8 (PT do B) e Adriano Boiadeiro (PRP) foram afastados preventivamente de suas funções por 15 dias, sendo prorrogados por mais 15, com exceção de Jean Oliveira, filho do ex-deputado e ex-presidente da ALE, Carlão de Oliveira.

As investigações iniciaram em 2011, com foco no tráfico de drogas, mas de acordo com a Polícia Civil outras formas de atuação do grupo foram identificadas, como tráfico de influência, lavagem de dinheiro, estelionado, peculato, corrupção ativa e passiva, prevaricação, quebra de sigilo funcional, falsificação de documentos, além da associação ao tráfico.

(Diário da Amazônia)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.