Rio Negro sobe oito centímetros e eleva risco de ‘grande cheia’ no Amazonas

2015 pode ser o terceiro ano consecutivo que a cota do rio ultrapassa 29 metros
2015 pode ser o terceiro ano consecutivo que a cota do rio ultrapassa 29 metros
2015 pode ser o terceiro ano consecutivo que a cota do rio ultrapassa 29 metros

Manaus – O rio Negro subiu oito centímetros nesta segunda (23), atingindo a cota de 26,18 metros, conforme o chefe de Serviço Hidrográfico do Porto de Manaus, o engenheiro Valderino Pereira.

A cota do rio estava 13 centímetros mais alta do que a do ano anterior. No dia 23 de março do ano passado, o rio Negro chegou a 26,05 metros e subia em média 7 centímetros por dia.

Segundo Valderino Pereira, os próximos dias serão decisivos para confirmar se haverá uma grande cheia neste ano. Ele explicou que os órgãos estaduais e municipais competentes nos trabalhos da cheia precisam ficar atentos com o volume de água, por causa do período da cheia, que deve chegar a avançar até o mês de junho.

Diferente de 2012, ano da grande cheia em que o rio Negro atingiu a cota de 29,97 metros, no dia 23 de março daquele ano, o rio atingia a cota de 27,35 metros.

A cota corresponde a 1,17 metro acima da cota de segunda-feira. “Não podemos afirmar que já estamos passando da normalidade, porém é necessário ficarmos alerta para esta situação”, reforçou o engenheiro.

Na semana passada, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) divulgou dados apresentados pelo pesquisador integrante do monitoramento e uso sustentável de áreas úmidas, Jochen Schongart, que relatou uma provável marca de 29,03 metros na segunda quinzena de junho.

Terceiro ano

Com este dado, o pesquisador afirmou que 2015 pode ser o terceiro ano consecutivo que a cota do rio ultrapassa 29 metros. Nos anos de 2013 e 2014 as marcas foram de 29,33 metros e 29,50 metros, respectivamente.

De acordo com a Defesa Civil do Estado, o município de Boca do Acre (a 1.028 quilômetros da capital) se encontra em estado de calamidade pública. Em situação de emergência estão os municípios Itamarati, Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Envia, Canutama, Tapauá, Cararuari, Pauiní e Lábrea. Em situação de alerta estão os municípios de Tabatinga, São Paulo do Iça, Tonantins, Benjamin Constant e Humaitá.

Ao todo são 68.436 pessoas afetadas. Foram distribuídas 321 toneladas de alimentos não perecíveis, além de kits de dormitório como colchões, redes, mosquiteiros e kits de higiene pessoal, medicamentos, filtros de água e hipoclorito de sódio. A Defesa Civil também construiu abrigos humanitários em Boca do Acre e acolhe 71 famílias. (Em Tempo)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.