Prefeituras devem intensificar ações educativas sobre a prevenção contra o câncer de colo de útero, diz José Melo

As prefeituras do interior do Estado e os gestores educacionais municipais deverão intensificar as ações educativas sobre a prevenção contra o câncer de colo de útero, para garantir o alcance da meta de imunização contra o vírus HPV, causador da doença.

A afirmação é do vice-governador, José Melo, que, juntamente com a primeira-dama do Estado, Nejmi Aziz, participou de palestra sobre o tema, ministrada pela médica ginecologista da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon), Mônica Bandeira, na Câmara Municipal de Manaus.

José Melo informou que tem mantido conversas com prefeitos e gestores educacionais do interior para que promovam palestras, debates e esclarecimentos sobre o câncer de colo de útero e a importância da vacinação. A Campanha de Vacinação contra o HPV foi lançada pelo governador Omar Aziz no último dia 9, em Manaus, e no dia 10, no interior do Estado. A meta é aplicar, até o dia 30 de agosto, a primeira das três doses da vacina em 116,5 mil meninas com idade entre 11 e 13 anos, das quais 63.900 são do interior. A aplicação da segunda e terceira doses acontecerá em outubro próximo e em fevereiro de 2014, respectivamente.

“Nossa missão enquanto Governo do Estado é fazer com que a prevenção do HPV chegue a todos os 62 municípios do Amazonas. Com a vacina em mãos o desafio agora é convencer a família de que essa é a melhor estratégia para evitar essa doença que pode acabar com a vida de uma mãe”, declarou Melo.

Para a primeira-dama do Estado, Nejmi Aziz, é importante que a discussão sobre a doença e a prevenção contra o vírus HPV aconteça também no ambiente familiar. “A família precisa participar mais desse tema. Quando uma mãe tiver noção do mal que o HPV pode trazer a sua filha eu tenho certeza que não haverá resistência para conceder a autorização para vacinação”, disse Nejmi Aziz, ao lembrar que, segundo dados da FCecon, 190 mulheres morrem por ano no Estado em consequência do câncer de colo de útero.

Durante a palestra, a ginecologista da FCecon, Mônica Bandeira, destacou que a vacina comprada pelo Governo do Estado – Cervarix (bivalente) – é a mais recomendada para prevenir os tipos de 16, 18 e 45 do HPV. “Esses três tipos do HPV são os mais graves. A Cervarix (nome comercial) contém uma substância coadjuvante que oferece um poder de proteção maior para prevenir contra o câncer”, explicou.

Governo alerta pais sobre necessidade de autorização para vacinação

No segundo dia de vacinação contra o HPV, o vírus que causa o câncer de colo de útero, o Governo do Estado alerta aos pais sobre a importância de autorizarem suas filhas a receber a primeira dose da vacina. A autorização, encaminhada pela diretoria da escola pelos filhos aos pais, deve ser apresentada no ato da vacina. Sem ela, a dose não pode ser aplicada. Até o dia 30 de agosto, o Governo do Estado pretende aplicar a primeira dose da vacina em 116,5 mil meninas com idade entre 11 e 13 anos na capital e no interior do Estado.

Nesta segunda-feira (12 de agosto), nas escolas estaduais visitadas pelas equipes de vacinação em Manaus, conforme o cronograma pré-estabelecido, a adesão foi considerada muito boa. A escola Estadual Fueth Paulo Mourão, no São Jorge, zona oeste, vacinou na sexta (9) e nesta segunda-feira e conseguiu quase 100% de adesão. Segundo a diretora Lydmar Jaime Nascimento, apenas três das 249 meninas na faixa etária não haviam apresentado a autorização, até às 14h.

“A gente pode dizer que foi um sucesso. Ainda vamos conversar com os pais que não autorizaram. Tivemos também uma ou duas meninas que apresentaram febre e outras que foram transferidas de escola, mas, no geral, a adesão dos pais foi excelente”, contou a diretora, que fez palestras com orientações antes da vacinação.

O açougueiro Márcio Miranda, 37 anos, foi até a escola para autorizar a filha de 13 anos. “Eu sempre venho na escola participar do que está acontecendo e hoje dei uma pausa no trabalho para vir pessoalmente acompanhar a vacinação dela. Se é para o bem da minha filha, faço questão de vir aqui”, disse.

O câncer de colo de útero é o tipo mais comum entre as mulheres no Amazonas. A vacina que está sendo aplicada possui 99% de eficácia e só é contraindicada se a pessoa estiver com febre aguda grave, em casos de gravidez ou para mães em fase de amamentação.

O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, afirma que a vacinação está ocorrendo prioritariamente nas escolas como estratégia para assegurar que as meninas cumpram o esquema de três doses que garante a imunização contra o Papilomavírus. “Até o dia 30 de agosto, todas as escolas públicas e privadas das áreas urbana e rural serão alcançadas, nos 62 municípios do Estado. As adolescentes que eventualmente não estejam matriculadas terão oportunidade de se vacinar nas unidades de saúde de referência definidas em todas as cidades”, explicou Alecrim.

(Fonte: Agecom)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.