Preço da gasolina em Manaus varia entre R$ 3,8 e 3,10 e no interior poderá ultrapassar os R$ 4

Amazonianarede – Osny Araújo

Revisão – Sérgio Costa

Manaus – Apesar de não ter sido surpresa pra ninguém, pois o Governo Federal vinha anunciando a disposição de reajustar o preço da gasolina e do diesel, para seguir o mercado internacional, o reajuste nesses dois combustíveis em vigor desde ontem, de 6,6 % para a gasolina e 5,4 para o diesel, para as refinarias assutou os consumidores.

O aumento deixou os vários seguimentos da sociedade, como pequenos médios comerciantes, indústria, serviços, taxistas, moto taxistas e outros preocupados com o futuro e os preços novos já começam a aparecer nas bombas para tristeza dos consumidores. Sem o reajsute, a maioria dos postos da capital comercializava a gasolina entre 2,78 e 2,88.

Hoje cedo à reportagem do Portal Amazonianarede resolveu fazer uma via-sacra pelas várias zonas de Manaus e percorreu quase vinte postos de combustíveis e poucos foram encontrados ainda praticando preços antigos, mesmo tendo ainda estoques nos tanques, com o produto não renovado ainda, o reajuste determinado pelo Governo que entrou em vigor ontem.

Em pucos postos, das diferentes bandeiras que funcionam em Manaus, as alterações nos preços começaram cedo dentro de uma variável de 3,7, 38 3 3,10 o litro da gasolina, mas esses valores em centavos poderão ainda ser acrescidos.

Procuramos entrar em contato com vários municípios do Estado, como Parintins, Itacoatiara, Manacapuru, Envira, Lábrea, Boca do Acre e outros, onde os preços que “já são salgados”, ainda não foram reajustados, mas segundo informações em alguns municípios, especialmente os mais distantes, como Envira, Benjamim Constant, Ipixuna, Pauini, Japurá e outros, o preço da gasolina poderá chegar ou ultrapassar os R$ 4, fato que provocará grandes problemas nos municípios e a elevação de preços ao consumidor dos mais diferentes produtos comercializados nas cidades.

Segundo Luiz Felipe Moura, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis no Amazonas (Sindicam), o reajuste da gasolina e do diesel nas bombas será feito de acordo com os preços praticados pelos distribuidores.

O sindicalista salienta ainda que os preços novos já estão sendo praticados desde ontem pelas distribuidoras.

RECLAMAÇÃO GERAL

Nos postos onde os preços novos já estão sendo praticados a reclamação é geral, com os consumidores protestando muito contra a decisão do Governo em reajustar a gasolina e o diesel.

Seu Francisco Santos, 58, estava inconformado. “Tudo vai aumentar, das feiras aos hiper-mercados tudo ficará mais caro, porque o combustível é a grande mola que mexe com tudo. O que eu não entendo, é que num Estado onde temos produção de petróleo e refinaria a gasolina pode ser tão cara” – protestou.

Seu Arivam Fernandes, 37, foi outro que demonstrou muita insatisfação. “Agora meu amigo, tudo vai ficar pelo “olho da cara” no comércio, pois da mesma forma que eles irão comprar mais caro, naturalmente irão vender mais caro, o que entendo perfeitamente. O que eu não entendo é como o Governo toma uma atitude dessas, num país onde o transporte é feito por terra e água, ou seja, pelo sistema rodo-fluvial, pois temos uma rede pequena de ferrovia e por aqui, não temos nada do sistema, por isso, deveremos ser ainda mais penalizados com os aumentos nos preços dos fretes e das mercadorias” – disse com certa revolta.

Par alguns empresários do sistema, o reajsute, deverá diminuir o movimento nos postos e isso, será prejudicial para o seguimento, que ganha pouco no varejo, mas consegue sobreviver no atacado. Ou seja, vendendo muita gasolina os lucros aparecem, caindo às vendas, os lucros também diminuem e isso, certamente não é um bom negócio.

Taxista a mais de vinte anos na Praça de Manaus, José Antonio Ferreira da Silva, 48, estava preocupado com o futuro. “As coisas já não estavam boas, o pouco que se ganha com táxi mal dá para as despesas essênciais e com esse aumento nos combustíveis e sem reajuste, por enquanto nas corridas, o lucro vai cair muito e as despesas serão maiores e com isso, as coisas ficarão ainda piores. O ruim de tudo isso, é que o Governo Federal acha que tudo está bem e vai metendo os pés pelas mãos, e o povo que se dane” – afirmou revoltado.

DÁ COM UMA, TIRA COM A OUTRA

Encontramos num posto da Cachoeirinha, a professora Eunice Rabelo de Souza, 48, que se espantou com o preço da gasolina a R$ 3,10 e protestou só que a frentista nada podia fazer, a não ser cobrar o novo preço e a professora teve que pagar resmungando.

“Não sei aonde esse Governo quer chegar, criando um monte de bolsas para dar dinheiro para alguns ao invés de criar postos de trabalho, daí esses aumentos absurdos, para poder sobrar algum dinheiro e ainda tem a demagogia, como por exemplo, anuncia redução no preço da energia elétrica e em seguida reajusta os combustíveis. É isso que se pode dizer literalmente, dá com uma mão e tira com a outra” – afirmou revoltada a professora.

Até os motos taxistas estão preocupados com o futuro, mesmo tendo pouco consumo de combustível. “A coisa já não estava muito boa e agora com esse reajsute na gasolina, vai ficar muito pior. Os fregueses vão diminuir, para manter a moto em circulação terei que gastar mais e o preço da corrida deverá ser o mesmo e se aumentar, a freguesia vai embora de uma vez. A situação é muito difícil” – disse José Fernandes Brito, 27, que há mais de ano sustenta a família trabalhando de moto taxista.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.