PF pede transferência de Odebrecht e mais 7 para presídio

Empresário Marcelo Odebrecht
Empresário Marcelo Odebrecht
Empresário Marcelo Odebrecht

Curitiba – Depois de pouco mais de um mês detidos na carceragem da Polícia Federal no Paraná, executivos e ex-funcionários das construtoras Andrade Gutierrez e Odebrecht podem ser transferidos para o Complexo Médico-Penal em Pinhais, presídio na região metropolitana de Curitiba onde está detida boa parte dos presos da Operação Lava Jato.

O pedido para a transferência de Marcelo Odebrecht, Alexandrino Alencar, César Rocha, Elton Negrão, João Antonio Bernardo, Márcio Faria, Rogério Araújo e do presidente da Andrade, Otávio Marques de Azevedo, foi apresentado pela PF ao juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância.

No pedido, a Polícia Federal afirma que, embora os executivos tenham preferido se manter em silêncio nos interrogatórios a que foram submetidos, eles ainda devem permanecer presos. A PF diz que a carceragem em Curitiba, para onde os empresários foram levados em 19 de junho, é um local destinado a presos transitórios ou detidos em flagrante.

“As instalações são limitadas, sendo capaz de absorver um pequeno número de presos, e a manutenção destes nas celas dificulta a operacionalização das autuações em flagrante e fragiliza a segurança do local em alguns momentos de excesso de custodiados”, afirmou o delegado Igor Romário de Paula.

O Complexo Médico-Penal já abriga, entre outros, os ex-deputados André Vargas, Luiz Argôlo e Pedro Corrêa, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, todos detidos por suspeitas de integrar o esquema de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a Petrobras.

Amazonianarede- Reuters

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.