Outra tubulação rompe e causa transtornos em Manaus

Amazonianarede – Semcom

Manaus – Uma tubulação de 150 mm que corta o conjunto Santos Dumont, na zona Centro-Sul, rompeu por volta das 6h40 da manhã desta terça-feira, 02, fazendo desmoronar parte de um barranco que invadiu a avenida Torquato Tapajós.

Com a interdição da via, pelos agentes do Manaustrans, o congestionamento chegou a 17 km. Equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) e Limpeza Pública (Semulsp) tiveram trabalho para conseguir desobstruir a área. A ação seguiu por toda a manhã, quando a pista foi totalmente liberada.

Foram necessários 40 servidores, duas retroescavadeiras, duas pás carregadeiras e 11 caminhões para retirar todo o barro da pista.

“Fomos a primeira equipe a chegar ao local e logo começamos o trabalho de retirada de todo este material que desmoronou. Vai ser necessário fazer a contenção do talude para que não haja novo desmoronamento e vamos trabalhar o dia inteiro para fazer a limpeza”, afirmou o subsecretário da Seminf, Antônio Peixoto.

Por causa da demora da Manaus Ambiental em cortar o abastecimento de água e providenciar equipes para fazer o reparo e evitar ainda mais transtornos, o engenheiro chefe do Departamento de Fiscalização da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Estado do Amazonas (Arsam), Jorge Caresto, prometeu apurar a culpabilidade e adotar as medidas necessárias para punir a empresa concessionária.

“O que a Manaus Ambiental pode ser penalizada é com relação à lentidão para resolver o problema causado por ela, ou seja, a invasão da pista pelo barro. Até às 8h da manhã, quando cheguei aqui, não havia ninguém da empresa para fazer a limpeza da via. Essa lentidão é que vai resultar em penalidades. Eles ficam esperando a prefeitura pra fazer o trabalho deles”, declarou Caresto.

A via só começou a ser liberada por volta das nove horas da manhã. Como não é a primeira vez que o incidente acontece, a empresa vai adotar medidas para minimizar os transtornos no trânsito, como a adequação da tubulação para dentro do conjunto Santos Dumont. O laudo com as causas do rompimento deve ser concluído em 30 dias.

Reportagem: Leonardo Fierro / Foto: Altemar Alcantara

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.