Omar destaca papel do Telecurso na formação escolar de comunidades distantes no Amazonas

Rio – O governador do Amazonas, Omar Aziz, ressaltou a importância do Telecurso na educação dos brasileiros, em especial das comunidades distantes que vivem em áreas isoladas da região Norte, durante a cerimônia que comemorou os 35 anos da primeira exibição do programa educacional de TV, realizada na noite desta segunda-feira, dia 27 de maio, no Teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico, Rio de Janeiro (RJ).

O Amazonas é um dos seis Estados do país a adotar o Telecurso, da Fundação Roberto Marinho (FRM), como política de educação básica.

O governador citou como exemplo os alunos que vivem nas áreas de fronteira e em comunidades indígenas que têm acesso à educação por meio do ensino mediado. “Nós temos cerca de 6 mil comunidades em nosso Estado, muitas etnias, e se não fosse através do ensino mediado meninos e meninas não estariam tendo oportunidade de estudar. Este é o melhor custo benefício que nós podemos ter. Queremos continuar dando oportunidade de nossos jovens terem um futuro melhor. Não vai haver desenvolvimento sem educação e sem conhecimento”, ressaltou Omar Aziz, que participou da cerimônia acompanhado pelo secretário de Educação do Amazonas, Rossieli Soares da Silva.

O evento contou com a presença de outras autoridades como o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e do presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho, além de governadores e ex-governadores de Estados que adotam ou já adotaram o Telecurso. Antes da solenidade, o governador conversou, em tempo real, com alunos e professores de Tonantins (a 865 quilômetros de Manaus). O município amazonense é um dos atendidos pelo Projeto Igarité presencial, desenvolvido pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) em parceria com a FRM e que atendeu 2.311 estudantes entre 2011 e 2012.

O professor Dicsoney Nascimento, que atua como mediador na Escola Estadual São Francisco, em Tonantins, esteve no evento representando educadores do Amazonas e destacou o projeto como uma oportunidade que o Governo está dando às pessoas que buscam conhecimento através da tecnologia. “Podemos conhecer um mundo novo, um mundo amplo. A tecnologia faz parte da nossa vida e facilita o aprendizado dos alunos e a metodologia adotada por nós educadores”, ressaltou. O aluno Douglas Aparício, de 13 anos, também saiu de Tonantins para a solenidade no Rio de Janeiro. Ele está no 9º ano do Ensino Fundamental. “Estou muito feliz em representar todos os alunos da cidade de Tonantins. É muita responsabilidade e estou muito feliz”, disse Douglas que sonha em ser médico.

Do total de alunos atendidos entre 2011 e 2012, foram 1.674 alunos de 18 municípios. No Ensino Fundamental o aproveitamento foi de 57,9% e Ensino Médio, de 71,99%. Ainda de acordo com a Seduc, este ano 7.422 alunos do 6º ao 9º ano serão beneficiados. Desde 2009 o Estado uniu a tecnologia do Centro de Mídias da Seducà metodologia de ensino do Telecurso.

Na cerimônia no Rio de Janeiro foi lançado o livro “Incluir para transformar – Metodologia Telessala em cinco movimentos”. A obra apresenta a metodologia, os pensadores que a inspiraram e a sua prática em sala de aula, levando os leitores a refletirem sobre os desafios da educação no país. Além dos 35 anos, a cerimônia também marcou a comemoração dos 20 anos de aplicação do Telecurso como política pública educacional.

Telecurso – O Telecurso nasceu nos anos 1970, com o objetivo de oferecer aulas pela televisão a milhares de brasileiros que precisavam concluir a escolaridade básica. A partir de 1993, o programa ganhou as salas de aula do país, com a Metodologia Telessala. Em 1995, foram lançados os livros do Telecurso, feitos por autores de referência nas principais universidades brasileiras, com consultoria de especialistas em educação e aspectos cognitivos da aprendizagem.

O Telecurso tem sido utilizado para enfrentar os problemas mais frequentes no sistema educacional brasileiro, tais como defasagem idade-ano, formação de professores, educação de jovens e adultos, alternativa de oferta de ensino regular para alunos de comunidades dispersas no campo e na floresta e complementação curricular. O índice de aprovação do Telecurso, que chega a mais de 90%, é um dos principais motivos que levam governos estaduais e municipais a adotar o programa como política pública de educação básica. A tecnologia educacional Telecurso (Metodologia Telessala e material didático) é reconhecida nacional e internacionalmente por promover a qualidade na educação, tendo sido implementada em mais de 32 mil salas de aula, formado mais de 40 mil professores e mais de 6 milhões de estudantes em todo o Brasil.

Atualmente integra o Guia de Tecnologias Educacionais do MEC – 2010. Hoje, mais de 147 mil e 300 estudantes na rede pública de ensino de seis estados, entre eles o Amazonas, e duas capitais usam a metodologia como política pública de educação para concluir a escolaridade básica.

(Agecom)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.