No Pará, Chuvas e enchentes castigam cidades

Belém – Três municípios do estado do Pará já decretaram situação de emergência devido às cheias dos Rios Tocantins-Araguaia e Xingu: Marabá (sudeste), além de Altamira e Medicilândia (sudoeste).

As demais cidades atingidas pelas enchentes no sudeste são Parauapebas, Tucuruí e São Félix do Xingu e, no sudoeste, Jacareacanga e Itaituba. Equipes técnicas da Defesa Civil do Estado estão nas regiões efetuando o levantamento dos danos causados pelas enchentes, através de uma ação conjunta entre a União, o estado e os municípios.

“Todos os anos, o inverno amazônico pode vir com mais severidade ou não. Este ano está rigoroso, mas não deve causar grandes impactos. Porém, já é suficiente para trazer prejuízos. Quando um município decreta situação de emergência é porque já esgotou a capacidade de atender a população atingida com os recursos próprios”, explicou o tenente coronel José Almeida, coordenador adjunto da Defesa Civil do Estado.

Além das cidades que já estão em situação de emergência, as equipes da Defesa Civil também estão atuando nas outras cidades atingidas. “O monitoramento continua por tempo indeterminado. A Defesa civil também está nos outros municípios afetados. Os técnicos fazem o levantamento de danos materiais, ambientais, humanos e sociais. Após isso, é feito um relatório para que a União e o estado disponibilize os recursos para atender as solicitações de cada município. Neste momento, prefeituras locais estão dando assistência aos desabrigados. Eles recebem água potável, a alimentação, além da questão da saúde.

Os desalojados são aqueles que saem das suas casas e vão para a casa de parentes ou amigos. Já os desabrigados ficam em um abrigo construído pela prefeitura local, sob a custódia do município. Segundo o tenente coronel José Almeida, o nível do rio Xingu continua subindo. Já o Araguaia-Tocantins está oscilando e apresentou queda nos últimos dos dias.

O diretor local do Inmet, José Raimundo, diz que, em Marabá, o nível do Araguaia deve baixar em dez dias, no máximo, pois o volume de chuva nessas áreas vão diminuir.

Já a cheia do rio Xingu deve começar a reduzir no mês de abril. “As chuvas do extremo sul do estado abastecem o rio Xingu. Então, as cheias devem durar até final do mês de março. Já no início de abril, vai começar a diminuir”, esclareceu José Raimundo. Santarém também deve enfrentar período de cheias, devido a elevação do nível do rio Amazonas.

XINGUARA

A prefeitura de Xinguara pode decretar nos próximos dias estado de emergência no município. Os estragos causados pelo alto volume das chuvas causaram diversos problemas como: queda de pontes, bueiros estourados, estradas vicinais e ruas intrafegáveis.

O Prefeito, Osvaldinho Assunção (PMDB), esteve reunido na última terça-feira (11), com o governador, Simão Jatene (PSDB), para discutir a situação crítica de Xinguara e região por conta das chuvas.

O prefeito relatou os estragos causados pelo alto volume de chuvas no município, entre os problemas: “Procurei o governador porque o município não dispõe de recursos para reparar os grandes estragos causados pelas fortes chuvas deste mês. Estamos com toda a equipe da Prefeitura de plantão, mas os estragos são muitos e às vezes não há equipe suficiente”, disse. “Por isso, precisamos de apoio do governo estadual e, também, a solidariedade da população para compreender o momento crítico”, declarou o prefeito.

Foto: Divulgação

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.