Na Bolívia, bocacrenses tentam a formação em medicina

Boca do Acre – Atraídos pelo preço e pela facilidade de fazer uma faculdade nesse ramo, mais de 30 bocacrenses já se destinaram ao país vizinho, mais especificamente para a cidade de Santa Cruz de La Sierra, onde estão cursando Medicina na Ucebol, a segunda maior universidade de Santa Cruz e uma das maiores da Bolívia.

Ronildo da Silva Bastos, 31 anos, estudante do 5º período do curso de Medicina falou das facilidades e das dificuldades de sair do Brasil para fazer uma faculdade no estrangeiro, em um país de língua espanhola, de usos e costumes diferentes. O entrevistado falou do processo de adaptação e do retorno à cidade natal assim que a faculdade for concluída.

Adaptação

Perguntado sobre as principais dificuldades de adaptação, Ronildo respondeu que vários fatores são influenciadores, mas o que pesa mais é o idioma (espanhol), a alimentação que é bem diferente e a cultura da Bolívia, que nosso entrevistado disse ser bem diferente.

Ronildo fala que os brasileiros são muito bem recebidos pelos bolivianos. “Eles veem os brasileiros como oportunidade de melhorar a sua economia. Eles fazem a simples equação: mais estrangeiros, mais renda para seu país”.

Admissão

O bocacrense diz que as faculdades públicas da Bolívia são mais exigentes nos processos de seleção dos alunos, uma vez que exigem o domínio do espanhol, diferentemente das particulares, que são mais flexíveis.

Dificuldade

Segundo Ronildo, a principal dificuldade de um médico formado na Bolívia, é a já conhecida de todos, a prova do CMR – Conselho Regional de Medicina. Entretanto, Bastos afirma que não se trata de algo impossível, uma vez que os conhecidos adquiridos no Brasil são os mesmos e com a mesma qualidade dos adquiridos na Bolívia.

União dos bocacrenses

Bastos disse que os bocacrenses que estão fazendo faculdade na Bolívia demonstram união. Ele conta que é comum haver as reuniões, onde os filhos de Boca do Acre matam a saudade, falando sobre a família, os amigos e da cidade. Ronildo esclarece que nem todos os bocacrenses estudam na mesma faculdade, daí a dificuldade de contato com todos.

Você aconselha alguém que está finalizando o ensino médio a fazer faculdade na Bolívia? “Não digo como conselho, mas se você tem um sonho de estudar Medicina, ou qualquer outra carreira e vê que aqui como uma oportunidade, digo que venha, porque um sonho pode ser o início de uma carreira vitoriosa, até porque não é onde se formou, nem a faculdade que vai mostrar o profissional que você vai ser, mas sim a vontade e determinação de ser o melhor. E não tenha preconceitos com a carreira de medicina aqui na Bolívia, porque a medicina é a mesma em todo o mundo”, respondeu.(Fonte: material enviado por e-mail)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.