Medicina na Argentina: Cientistas argentinos criam teste rápido e simples para COVID-19

Foto: reprodução

Desenvolvido por cientistas argentinos, teste rápido e de baixo custo para detecção de coronavírus é o primeiro desse tipo validado na América Latina.

Cientistas de renomadas instituições de Medicina na Argentina desenvolveram um teste rápido de diagnóstico para o COVID-19, juntamente com empresas de biotecnologia, que permitem diagnosticar pessoas com infecção, com ou sem sintomas, com 95% de probabilidade de acerto.

O novo teste chamado “NEOKIT-COVID-19” foi desenvolvido pelo Ministério da Ciência, pelo Centro Estadual de Pesquisa Conicet e pelo instituto público-privado César Milstein, cujo nome homenageia o Prêmio Nobel de Medicina na Argentina em 1984.

As autoridades argentinas estão comemorando a produção que, segundo o governo, atraiu o interesse de outros países. “Estamos dispostos a fornecer não apenas países vizinhos, mas outros países, de fato, já houve contato com embaixadas estrangeiras interessadas em acessar este kit”, disse o Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Roberto Salvarezza.
O teste permite a detecção do vírus em menos de duas horas, dizem os pesquisadores. O exame funciona a partir de uma amostra respiratória (nasal ou bucal) colocada em um tubo com o reagente. A solução é aquecida e, após esse processo de incubação, a mudança de cor determinará se o resultado é negativo ou positivo para o vírus SARS-Cov-2.

“É uma técnica simples, barata e facilmente disponível”, disse Santiago Werbajh à agência de notícias Reuters. Ele é epidemiologista da Fundação Pablo Cassara, uma organização que criou o Instituto Cesar Milstein de Ciência e Tecnologia, entidade público-privada de medicina na argentina onde o teste foi desenvolvido.

“Os custos são baixos, aproximadamente US $ 8, e o simples é que devido ao tempo e ao manuseio, que podem ser usados em nível ambulatorial para testes em massa, a disponibilidade será maior do que com as técnicas atuais”, completou Werbajh.

Uma caixa contém 100 kits de testes de Covid-19. São tubos que já possuem parte dos reagentes e um conta-gotas com outros reagentes no estado líquido. É um processo muito fácil e economiza o uso de pipetas, reduzindo a necessidade de equipamentos caros.

Devido à simplicidade da análise e à manipulação dos testes, não é necessário pessoal altamente treinado para executá-lo. Seu manuseio depende de poucos elementos e a visualização de diagnóstico é absolutamente rápida”, disse Adrián Vojnov, diretor do Instituto Milstein.

Pesquisadores de universidades de medicina na Argentina e de outras instituições científicas estão avançando na luta contra o novo coronavírus, que gera a doença COVID-19, e que já causou mais de 7,9 milhões de infecções e mais de 430 mil mortes em todo o mundo.

Na Argentina, onde foram registrados mais de 34 mil casos de COVID-19 – dos quais 878 foram fatais – foram realizados mais de 234 mil testes para a doença (dados do dia 15 de junho de 2020). O país possui 45 milhões de habitantes. As áreas densamente povoadas estão em ‘lockdown’ desde 20 de março. A quarentena na Argentina foi prorrogada várias vezes e agora foi estendida para o dia 28 de junho, com raras flexibilizações.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.