Manaus tem 19,6% da população com excesso de peso

(Amazonianarede – MS)

Pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde aponta que a população de Manaus está gordinha e bem acima do peso considerado aceitável pela Organização Mundial da Saúde, ou seja, 19,6% da população está com excesso de peso, fato que começa a preocupar as autoridades.

Segundo o Ministério da Saúde, o percentual de obesos em Manaus saltou de 13,5% para 44,1%, em 2006, de 19,6% e 52%, respectivamente. O aumento ocorre tanto em homens quanto mulheres. A falta de atividades físicas e do consumo de frutas e hortaliças contribui para os índices.

O percentual de homens obesos subiu de 13,5% para 19,1% e com excesso de peso de 52,3% para 52,6% na capital. Entre as mulheres, os índices de obesidade aumentaram de 13,6% para 20% e de excesso de peso de 35,4% para 51,5%.

No Brasil

O excesso de peso e a obesidade aumentaram Brasil nos últimos sete anos, segundo a pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2012), divulgados nesta terça-feira (27).

Na primeira edição do estudo, em 2006, 43,2% estavam acima do peso ideal e 11,4% eram obesos no Brasil. Atualmente, o percentual subiu para 51% e 17,4%, respectivamente. É a primeira vez que a população brasileira está acima do peso aceitável. Na pesquisa, foram entrevistados 45.448 mil adultos em todas as capitais e no Distrito Federal, entre julho de 2012 a fevereiro de 2013.

Hábitos

A pesquisa traz dados sobre os hábitos da população. As informações, conforme o Ministério da Saúde, servem como instrumento para desenvolver políticas públicas de saúde preventiva.

A obesidade está relacionada a fatores genéticos, mas há influência significativa do sedentarismo e de padrões alimentares inadequados no aumento dos índices brasileiros. Em Manaus, apenas 16,8% da população ingerem a porção diária recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de cinco ou mais porções ao dia.

Outro indicador que preocupa é o consumo excessivo de gordura saturada: 25,9% da população da cidade não dispensam a carne gordurosa e 61,2% consomem leite integral regularmente.

Os refrigerantes também têm consumidores fieis – 25,6% dos manauenses tomam esse tipo de bebida ao menos cinco vezes por semana. A pesquisa revela também que 37,8% da população da capital praticam de atividade física no tempo livre ou no lazer. Os homens (47%) são mais ativos que as mulheres (29,3%).

Combate à obesidade

Um dos objetivos do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT), lançado em 2011, é deter o crescimento da proporção de adultos brasileiros com excesso de peso ou com obesidade.

Em março, o Ministério da Saúde criou a Linha de Cuidados da Atenção Básica para excesso de peso e outros fatores de risco associados ao sobrepeso e à obesidade até o atendimento em serviços especializados. A Atenção Básica vai proporcionar diferentes tipos de tratamentos e acompanhamentos ao usuário, o que inclui também atendimento psicológico.

A pessoa com sobrepeso (IMC igual ou superior a 25) poderá ser encaminhada a um polo da Academia da Saúde para realização de atividades físicas e a um Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) para receber orientações para uma alimentação saudável e balanceada. Atualmente, 82,1% dos 1.888 NASFs contam com nutricionistas; 85,7% com psicólogos e 61,6% com professores de educação física.

Toda a evolução do tratamento será acompanhada por uma das 37 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS), presentes em todos os municípios brasileiros. Segundo o Ministério da Saúde, o Programa Academia da Saúde é a principal estratégia para induzir o aumento da prática da atividade física na população. Até agora, já foram repassados R$ 175 milhões, de um total de investimento previsto de R$ 390 milhões.

A iniciativa prevê a implantação de polos com infraestrutura, equipamentos e profissionais qualificados para a orientação de práticas corporais, atividades físicas e lazer. Atualmente, há mais de 2,8 mil polos habilitados para a construção em todo o país e outros 155 projetos pré-existentes que foram adaptados e custeados pelo Ministério da Saúde.

Investimentos

No Amazonas, o Ministério da Saúde afirma que os investimentos no setor específico, chegam a investindo R$ 1,8 milhão na construção de 13 polos em todo o estado.

O Ministério da Saúde informou ainda que investe também em ações preventivas para evitar a obesidade em crianças e adolescentes, como o Programa Saúde na Escola (PSE).

Neste ano, o programa está aberto a todos os municípios e passa a atender creches e pré-escolas. Para 2013, está previsto o investimento de R$ 175 milhões. Outra medida é a parceria do Ministério com Federação Nacional de Escolas Particulares para distribuição de 18 mil Manuais das Cantinas Escolares Saudáveis como incentivo a lanches menos calóricos e mais nutritivos.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.