Macapá: área de incêndio pode ser alagada

(Por: Redação DA)

Moradores do bairro Perpétuo Socorro, na zona leste de Macapá, vizinhos da área de 29.000 m² que foi atingida pelo incêndio, dia 23 de outubro, e que destruiu cerca de 250 casas, deixando mais de duas mil pessoas desalojadas, temem agora pelo alagamento que a região pode sofrer com a chegada das chuvas.

É que o entulho produzido pelas construções [que foram destruídas no sinistro] obstruiu o curso do canal de escoamento das águas pluviais que desaguam no Igarapé das Mulheres. Com isso, a água da chuva fica represada, causando alagamento das casas naquela região. A área é de baixo relevo, e com a subida do rio Amazonas a situação piora.

“Semana passada choveu uns dez minutos e muitas casas ficaram no fundo. É preciso que se faça a limpeza do canal que passa aí no meio dessa área de forma urgente”, disse o pedreiro José Marcelo Dias, 38 anos, que mora próximo à Feira da Ana Nery.

O secretário José Mont’Alverne, titular da Secretaria Municipal de Manutenção Urbanística (Semur), anunciou que o problema já foi diagnosticado pela equipe técnica da secretaria, e que até sexta-feira, 8, eles iniciam o trabalho de desobstrução do canal.

“Será um trabalho manual em sua grande parte. É que aquela área é de ressaca, e foi aterrada superficialmente. Isso impossibilita que máquinas pesadas entrem naquela região, sob pena de ficar enterradas”, argumentou.

A área ocupada de forma irregular é na verdade uma bacia de acumulação, ou seja, serve para absorver a água das chuvas, redirecionando-a ao rio Amazonas. Caso não ocorra essa vazão, a água represada sobe rapidamente, provocando alagamento.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.