Luiz Castro critica comportamento de membros do movimento acampados em frente a ALEAM

Manaus – O deputado estadual Luiz Castro (PPS) considerou o comportamento de alguns membros da União dos Movimentos de Manaus (UMM) acampados em frente ao prédio da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM), como “autoritário formado por grupelhos de pessoas com visão fascista e que tentam manipular a visão dos demais integrantes que levam o movimento a sério”.

Luiz Castro mostrou preocupação devido ao fato de ter sido hostilizado por integrantes do movimento porque um assessor seu faz parte de outro movimento com qual eles não cumulam. “São situações preocupantes, algumas de tendências autoritárias até, que excluem da luta políticos que tem passado de luta em favor do povo, mas se for amigo de pessoas de outro movimento é excluído como se fosse uma pessoa com uma doença infecto-contagiosa”, assinalou o deputado Luiz Castro.

Contudo, disse Castro, felizmente percebemos que a grande maioria são pessoas que estão envolvidas com as grandes causas da sociedade, dentre elas, o combate à corrupção, a defesa de uma reforma política, talvez, não nos moldes que o Governo Federal quer fazer, perigoso de fato, mas que deve acontecer com a participação popular. “Eu defendo que a melhor fórmula seria a Lei de Iniciativa Popular que já tramita no Congresso e que ele a acolha e a transforme na Lei da Reforma Política, vinda de baixo, discutida com a sociedade, como foi no caso da “Lei da Ficha Limpa”.

O deputado manifestou sua posição sobre uma colocação do grupo de pessoas em frente à ALEAM que diz respeito à verba indenizatória. “Não temos outro instrumento mais democrático de garantir a atuação dos parlamentares aqui do que essa cota, que é transparente, está publicada na internet e qualquer pessoa pode acessar para saber se ela é exagerada, se pode ser diminuída, mas extinguir significa deixar os três deputados de oposição presos a Manaus sem poder viajar para o interior, principalmente para os mais distantes”.

São propostas que precisamos ter certos cuidados, pois também transformaria os deputados de situação em simples apoio ao Governo porque do momento que ele não pode viajar às expensas da ALEAM vai ter que pedir carona em um avião do Governo ou não vai para o interior. A cota indenizatória pode até ter erros, mas ela é importante para dar liberdade de movimento para o parlamentar se deslocar para o estado inteiro e não só para Manaus. “É preciso fazer uma análise profunda daquilo que é certo e é errado, melhorado, aperfeiçoado e do que deve ser extinto como foi o 14° e o 15° salários porque era de fato para a sociedade uma aberração”.

(Fonte: Diretoria de Comunicação) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.