Juiz boliviano decreta prisão preventiva dos 12 torcedores do Corinthians

Amazonianarede – EFE

Oruro,BOL – Um juiz boliviano decretou que os 12 torcedores brasileiros acusados pela morte de um boliviano de 14 anos sejam mantidos presos na cidade de Oruro, na Bolívia.

Na noite de quarta-feira, depois do primeiro gol do Corinthians, torcedores lançaram sinalizadores e, segundo a polícia, um deles atingiu o olho de Kevin Douglas Beltrán Espada, que morreu ainda no estádio.

O juiz de medidas cautelares Julio Guarachi disse que dois dos torcedores são apontados como os principais responsáveis pela morte. Os demais estão sendo acusados de serem cúmplices.

A ordem do juiz é que os 12 sejam mantidos presos em uma prisão de San Pedro de Oruro.

Os torcedores corintianos contrataram o advogado boliviano Jaime Flores.

Os torcedores do Corinthians detidos disseram à imprensa brasileira que foi “um acidente” e que o sinalizador disparou sem o intuito de prejudicar alguém. Um canal de TV da Bolívia exibiu imagens que mostram o momento em que o sinalizador é lançado pela torcida do Corinthians que estava no estádio em Oruro. Não é possível identificar se é o artefato que matou o torcedor do San José.

Veja o vídeo aqui

Pela morte do jovem, a Conmebol anunciou na noite de quinta-feira que o Corinthians terá que disputar seus jogos pelo torneio sul-americano com os portões fechados. Em jogos fora do país, os torcedores corintianos não terão acesso aos ingressos.

A medida é cautelar. Significa que vai ficar valendo até que se tome uma decisão final, o que deve ocorrer, segundo a entidade, em até 60 dias.

Nesta sexta-feira, o diretor jurídico do Corinthians Alberto Bussab afirmou que o clube vai apresentar um recurso ainda hoje à Conmebol contra a punição para cassar a liminar.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.