Indígena do Acre participa de documentário sobre a mulher artesã brasileira

Na última semana, uma equipe de cinema esteve na capital acreana para gravar um documentário sobre a artesã Raimunda Mawapey Kaxinawá, que representará o estado em Nova Iorque (EUA) na exposição “Mulher Artesã Brasileira” em setembro deste ano.

A equipe da “Buteco Filmes” passou a manhã com um grupo de mulheres artesãs da etnia Huni Kui (Kaxinawá), dentre elas Raimunda, que representará os trabalhos manuais das mulheres indígenas do Acre. O local de gravação escolhido foi uma trilha no Parque Chico Mendes.

O grupo está viajando todo o país para retratar a mulher artesã e, aqui no Acre, Raimundinha, como é conhecida, foi escolhida por ser ela a representante na sede da ONU para a exposição em questão, dentre outras 14 artesãs do país.

Composta por quatro pessoas, a equipe ficou impressionada com as histórias contadas por Raimundinha e sobre as peculiaridades de crescer em uma aldeia amazônica, e dos dois troncos de artesanato Huni Kui, conhecidos como “Inani e Banu”.

Fabiana Stig, diretora de edição do projeto, achou o cenário muito especial. A Secretaria de Turismo e Lazer foi responsável pela participação de Raimunda Kaxinawá em feiras de artesanato onde ficou reconhecida nacionalmente uma artesã da etnia Huni Kui.

Responsável pelo setor de artesanato da Setul, Simone Nascimentto afirma que o trabalho de cadastramento dos artesãos acreanos, sobretudo os indígenas, dará visibilidade nacional e até internacional de seus trabalhos. “Esse ano percorremos quase todos os municípios acreanos cadastrando artesãos no Sicab [Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro], colocando-os no cenário do artesanato nacional e até internacional”, afirma Simone.

(Agência Acre) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.