Grupo pró-impeachment do PMDB troca líder do partido na Câmara

deputado Leonardo quintão é o novo líder do PMDB na Câmara
deputado Leonardo quintão é o novo líder do PMDB na Câmara
deputado Leonardo quintão é o novo líder do PMDB na Câmara

Brasília – Favorável ao governo federal, Leonardo Picciani (foto) foi destituído da função de líder do PMDB na Câmara dos Deputados. Um grupo de deputados do PMDB que se posiciona a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff protocolou pedido para destituir o líder da bancada na Câmara, deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), nesta quarta-feira (9).

Um grupo de deputados do PMDB que se posiciona a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff protocolou pedido para destituir o líder da bancada na Câmara, deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), nesta quarta-feira (9).

O grupo substituiu Picciani por Leonardo Quintão (PMDB-MG), conforme já consta no site da casa. Eles arrecadaram as 34 assinaturas necessárias para pedir a saída de Picciani do posto.

O movimento começou depois que o líder peemedebista fez indicações de deputados governistas para preencher as oito vagas do partido na comissão especial do impeachment.

Picciani, porém, ainda permanecia como líder do bloco conjunto do PMDB com o PEN no site da Câmara, até a publicação desta reportagem.

O pedido de retirar Picciani da liderança da bancada na Câmara foi discutido com o presidente nacional do PMDB e vice-presidente da República, Michel Temer, nesta terça-feira (8).

Ele recebeu os deputados insatisfeitos do partido em encontro no Palácio do Jaburu.

Hoje, Quintão evitou falar sobre o motivo da troca da liderança.

— Fui convidado pela maioria para trabalhar pela unidade partidária e trabalhar junto com o Senado. A troca foi motivada pela maioria. Não tenho posição para lado A ou B. Minha decisão na bancada será a da maioria.

Ele acrescentou que vai receber apoio do vice-presidente da República, Michel Temer, que também é presidente do PMDB.

— Marquei de falar com o Temer às 14h30 e ele vai nos ajudar muito aqui na Câmara. Caso a Dilma me convide para conversar, estou à total disposição.

Além de requisitar a destituição de Picciani da liderança, os oposicionistas do PMDB também motivaram a criação de uma chapa avulsa de deputados pró-impeachment que venceu a eleição secreta da comissão especial, na noite desta terça-feira.

No entanto, o rito de votação secreta foi questionado pelo PCdoB no STF (Supremo Tribunal Federal), que, pela decisão do ministro Edson Fachin, suspendeu o andamento do processo de impeachment na Câmara.

O plenário do tribunal vai analisar a validade dos atos de formação da comissão especial na próxima quarta-feira (16).

Ao todo, o grupo conseguiu 35 assinaturas, incluindo a do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Picciani, que passou a manhã em reuniões externas, tentará agora uma nova lista de assinaturas para retornar ao posto de líder. Para isso, ele anunciou o retorno dos deputados Marco Antônio Cabral e Pedro Paulo, que estavam ocupando posto de secretários no governo do Rio de Janeiro.

Amazonianarede-R7

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.