Governo prorrogou até o fim do ano IPI reduzido para carros nacionais

Amazonianarede/Agência Brasil

Brasília – A presidente Dilma Rousseff anunciou, ontem, a prorrogação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido para automóveis até o final do ano. O anúncio foi feito durante a abertura do Salão de São Paulo, evento que reúne as principais marcas de veículos na capital paulista.

O IPI de veículos foi reduzido no final de maio pelo governo em até sete pontos percentuais, de acordo com o modelo e a cilindrada. No caso dos carros populares, de motor 1.0, a redução foi de 7% para zero. Os veículos álcool e flex com motores entre 1.0 e 2.0 tiveram o IPI reduzido de 11% para 5,5% e os modelos a gasolina com motores entre 1.0 a 2.0 tiveram o IPI reduzido de 13% para 6,5%.
Os carros nacionais acima de 2.000 cilindradas não tiveram a alíquota do imposto reduzida.

Além de veículos, continua reduzido até o fim de dezembro o IPI dos produtos da linha branca, móveis e luminárias, conforme o último decreto de prorrogação, de 31de agosto.

Com a possibilidade de permanência do IPI baixo para veículos em novembro e dezembro, o governo vai adiar para os últimos dias de 2012 a decisão sobre a permanência em 2013 das reduções de IPI em vigor.

Regime — A presidente também defendeu o novo regime automotivo, o Inovar-Auto. “Nós queremos gerar tecnologia, porque o nosso país tem um desafio e chama-se o desafio da produção, e produzir vai significar para o nosso país ter uma imensa capacidade de inovar”, disse a presidente.

O ministro Guido Mantega disse que a prorrogação servirá “para que a indústria continue vendendo bem e continue anunciando e fazendo investimentos”.

“O Brasil hoje é um dos poucos países que está atraindo investimentos para a indústria automobilística. Nos outros países, estamos vendo anúncios de fechamento de fábricas de automóveis. Nós queremos que a indústria brasileira cresça indiferente à crise”, disse. “Essas medidas ajudam a garantir investimentos e emprego”, afirmou.
Ainda segundo Mantega, o governo não quer que haja aumento de preços de carros no final do ano. “Se nós suspendêssemos a desoneração, provavelmente as empresas iriam aumentar os preços.”

A renúncia fiscal, com a medida, será de cerca de R$ 800 milhões em dois meses. Mantega afirmou, ainda, que “provavelmente” esta será a última prorrogação do IPI menor para carros.

Mesmo apresentando melhora na produção — a produção industrial subiu 1,5% em agosto frente a julho, segundo o IBGE —, alguns segmentos industriais, incluindo o setor automotivo, ainda estão com estoques excessivos.

Em janeiro, entra em vigor o novo regime automotivo que estabelece crédito presumido de IPI de até 30 pontos percentuais para os fabricantes de veículos que fizerem investimentos em pesquisa e desenvolvimento e se comprometerem a melhorar eficiência energética de veículos.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.