Governo abre auditoria para investigar bolsistas ‘fantasmas’ na Fapeam

Governo manda investigar bolsistas "fantasmas" da Fapeam
Governo manda investigar bolsistas "fantasmas" da Fapeam
Governo manda investigar bolsistas “fantasmas” da Fapeam

Manaus – AFundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) está passando por uma auditoria. A informação é do governador José Melo, que informou na manhã desta sexta-feira (9) que as bolsas da instituição do programa de mestrado, doutorado e apoio a iniciação científica (PAIC) não estão suspensas em decorrência da inspeção.

Segundo ele, houve um atraso por causa da crise econômica enfrentada pelo Estado. A auditoria, de acordo com Melo, ocorre devido a suspeitas de bolsas ‘fantasmas’ dadas a alunos que não precisam do benefício. Os bolsistas da Fapeam reclamam que a ajuda de custo concedida mensalmente pelo órgão está atrasada, há uma semana. Com o pagamento disponibilizado, geralmente, no último dia de cada mês, as bolsas, segundo os estudantes, estavam previstas para serem liberadas, na última quarta-feira, mas até a manhã desta sexta, o valor ainda não havia sido depositado.

Durante a cerimônia de entrega da medalha “Colar do Mérito de Contas”, no Tribunal de Contas do Estado (TCE), Melo afirmou que bolsistas que residem em outras localidades, como no Estado do Rio de Janeiro, estão recebendo o benefício sem realizar pesquisa. “A gente tem notícia de que há pessoas recebendo que não são bolsistas. Aqueles que ficarem depois do pente fino receberão no tempo certo”, frisou.

Ainda conforme o Melo, os pagamentos aos fornecedores e bolsistas estão em terceiro lugar na prioridade do governo, e por causa da crise financeira, o Estado tem atrasada a folha dos beneficiários nos últimos meses. Na próxima semana, segundo Melo, as bolsas serão quitadas.

Atrasos 

O bolsistas da Fapeam afirmaram que a ajuda de custo concedida mensalmente pelo órgão está atrasada, há uma semana. Com pagamento disponibilizado, geralmente, no último dia de cada mês, as bolsas, segundo os estudantes, estavam previstas para serem liberadas, na última quarta-feira, mas até sexta-feira, o valor não havia sido repassado.

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Rosiane Lima, afirma que este é o terceiro atraso no pagamento das bolsas, em menos de um ano.

Natural do Pará e em regime de dedicação exclusiva para o curso, ela conta que sem a renda de R$ 1.675, precisou emprestar dinheiro para quitar o aluguel. “Eu tenho amigos aqui e tenho como ser ajudada, mas e quem está cursando a pós-graduação em outro Estado?”, questiona.

Aulas em um dos cursos da Fapeam
Aulas em um dos cursos da Fapeam

Além do aluguel, a compra de livros e o pagamento do transporte até a faculdade também é custeado pela bolsa, de acordo com Rosiane.

Bolsista de doutorado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Darla Araújo conta que as informações que circulam entre os bolsistas é de que a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) não recebeu a autorização para o pagamento.

“Uma colega que também é bolsista ligou para a Sefaz e recebeu a informação de que a secretaria não tinha sido autorizada a pagar e que não sabia se seria. O pior é que o atraso prejudica nosso desempenho já que ficamos pensando nas dívidas ao invés de na pesquisa”, reclama Darla.

Há um ano morando em Campinas, Darla conta que o aluguel vencido desde o último dia 5, já acumula uma multa de R$ 280. Com as contas dos cartões de crédito também atrasadas e os mantimentos acabando, um empréstimo bancário precisou ser feito, segundo a doutoranda. “A gente não pode trabalhar e nem dar aula, então a bolsa é nossa única renda. Divido a casa com um colega que também é bolsista e optamos por atrasar o aluguel, energia e cartões de crédito para poder comprar mantimentos”, afirma.

De acordo com o aluno de doutorado da Ufam, Celso Augusto Torres, em contato realizado com a Sefaz, na manhã de hoje, a informação repassada foi de que apenas no próximo  dia 15, o governo deve repassar o benefício em atraso.

“A moça disse que essa era a data estipulada pelo governo para pagar todos os atrasados”, afirma. Celso recebe uma bolsa de R$ 2.457

Em nota, a Fapeam informou que já cumpriu todos os trâmites para o pagamento das bolsas e que permanece aguardando a liberação de recursos por parte da Sefaz, prevista para o quinto dia útil deste mês. Ainda segundo o órgão,  6.644 pessoas, incluindo os bolsistas internos estão na folha de pagamento do mês de setembro deste ano.

Amazonianarede-D24

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.