FVS mostra queda nos casos de Malária no Amazonas

O mosquito transmissora da doença
O mosquito transmissora da doença
O mosquito transmissora da doença

Manaus – Os casos de Malária em Manaus tiveram redução neste primeiro trimestre de 2015 de 20,15% em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), de janeiro a março deste ano foram registrados 10.465 casos da doença, contra 13.106, nos três primeiros meses do ano passado.

O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, disse que o resultado deve-se, principalmente, às ações previstas no Plano Plurianual de Prevenção e Controle da Malária que buscam, entre outras metas, fortalecer a atuação coordenada entre o Governo do Estado e os municípios, para a redução e o controle da transmissão da doença, que é endêmica na região.

No sábado (25), comemora-se o Dia Mundial de Luta Contra a Malária e os municípios estão realizando esta semana programações especiais para marcar a data, com ênfase nas ações de Educação em Saúde. “Nosso grande desafio era criar as condições técnicas e administrativas para que essa redução e controle da Malária se mantenham de forma sustentável. Considerando que saímos de um patamar de 232.016 casos da endemia registrados em 2005 no Estado, para os 66.607 verificados no ano passado, numa redução de 71,29%, podemos afirmar que estamos no caminho certo”, ressaltou o secretário.

Alecrim frisa que ajustes ainda são necessários no plano de ações, sobretudo com ênfase naqueles municípios que mantêm uma tendência de aumento no número de casos da doença, como Itamarati, Envira, Maués, Santo Antônio do Içá, Eirunepé, Ipixuna, São Paulo de Olivença, Carauari, Pauini, e Lábrea. “A prevenção e o controle da malária devem ser encarados no contexto das políticas estadual e municipal de desenvolvimento socioeconômico, por isso, precisamos estar alinhados para apoiar, fomentar e criar as condições técnicas e administrativas que visam ao alcance das metas do nosso plano de ações”, destacou o secretário.

Estáveis

Ainda sobre o primeiro trimestre deste ano, o balanço da FVS informa que, na capital, os números mantiveram-se praticamente estabilizados, com um leve aumento de 1,36% no número de casos registrados de malária, em comparação ao mesmo período de 2014. De janeiro a março daquele ano, foram registrados 1.319 casos de doença, em Manaus, contra 1.337, nos três primeiros meses deste ano.

De acordo com o diretor-presidente da FVS-AM, Bernardino Albuquerque, entre as ações que merecem destaque para o enfrentamento da malária no Estado, está a ampliação do diagnóstico da doença, com cerca de 1.115 postos de microscopia distribuídos em todo o Amazonas. “Estes postos estão inseridos nas áreas urbanas, rurais e nas comunidades de difícil acesso, possibilitando, desse modo, o diagnóstico e o tratamento direcionado à espécie de plasmódio infectante”, disse.

Albuquerque salienta, ainda, que como parte dos preparativos para o próximo período de maior risco de transmissão da Malária no Estado – que ocorre normalmente entre julho e setembro – a FVS-AM está adquirindo 45 mil mosquiteiros impregnados com inseticida, como forma de proteção individual e familiar. “Esses mosquiteiros serão disponibilizados à população que vive nas áreas de maior presença do vetor. A FVS também mantém e intensificará a realização das medidas de combate ao mosquito transmissor da doença, por meio das borrifações intradomiciliar e ambiental”, informou.

O diretor da FVS diz que outra prioridade são as ações de educação em saúde, que alcançam diretamente a população, informando sobre os principais sinais e sintomas da doença, e as medidas de prevenção que ajudam a evitar, por exemplo, os horários de maior exposição ao vetor.

Programação

As gerências de endemias da capital e do interior do Estado organizaram uma programação especial para esta semana, em que se comemora o Dia Mundial de Combate à Malária (em 25 de abril). De acordo com a FVS, as atividades de Educação em Saúde envolverão 31 municípios que têm registro de casos da doença, com a participação de aproximadamente 31 mil servidores. “A programação inclui palestras nas escolas, unidades de saúde e unidades hospitalares, a intensificação da busca ativa dos casos de malária naquelas localidades consideradas de maior risco para a transmissão da doença e divulgação, nas rádios locais, de informações sobre prevenção, diagnóstico e tratamento da malária”, explica Elder Figueira, gerente de Doenças de Transmissão Vetorial/Malária, da FVS.

Na sexta-feira (24), os municípios estarão com equipes atuando em pontos estratégicos, geralmente praças de bairros com a transmissão ativa da malária, para a distribuição de panfletos com informações sobre a doença, oferta de diagnóstico (exame de gota espessa), palestras e outras atividades educativas e recreativas. “É sempre oportuno difundir informações e sensibilizar as pessoas sobre a importância das medidas de prevenção. A malária tem cura, o diagnóstico  e tratamento são rápidos e disponibilizados na rede de atenção à saúde”, frisou o gerente.

Em Manaus, a atividades, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa), acontecerão nos Distritos de Saúde, principalmente onde estão localizados bairros periurbanos, que permanecem com transmissão ativa da malária. Em 2014, a capital registrou 5.514 casos da infecção, o equivalente ao notificado em 2013.

Amazonianarede-Assessoria

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.