Fé: cerca de oito mil paraenses vão à Jornada da Juventude

Depois de meses de preparação, finalmente se aproxima o momento em que cerca de 8 mil peregrinos sairão do Pará para participar da 38ª edição da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que será realizada no Rio de Janeiro nos dias 23 a 28 deste mês.

São esperados três milhões de inscritos e mais de 700 voluntários, dos quais 80 são paraenses. O evento foi agendado para terras brasileiras na última edição da jornada, ocorrida em agosto de 2011, em Madri, Espanha. Na ocasião ninguém poderia suspeitar que esta também seria a primeira visita do papa Francisco ao maior país católico do mundo.

Pacotes turísticos que variaram de R$ 1.200 a R$ 2.500 foram adquiridos de acordo com as possibilidades e a estratégia tomada. “A gente suou muito pra conseguir mandar dois ônibus daqui. Fizemos de rifas a festas”, comemorou a estudante Vitória Cardoso Prestes, de 16 anos, talvez a mais nova do grupo que vai à Cidade Maravilhosa. Ela disse que sempre viajou pra fora do estado, mas nunca sem a companhia dos pais. “Eles estão nervosos, mas sabem que será bom pra mim”.

Vitória fará aniversário no mesmo dia da primeira cerimônia presidida pelo papa Francisco no Brasil, dia 25, o “melhor presente que se pode querer”. Ela faz parte do Setor Juventude da paróquia São João Batista, em Icoaraci, a mesma do padre Rangel, o responsável pelas ações inerentes à JMJ no Regional Norte 2, que abrange dioceses, prelazias e arquidiocese do Pará e Amapá. “Só da Arquidiocese de Belém são cerca de 4 mil peregrinos, que viajarão de avião e principalmente de ônibus, em caravanas”, confirmou.

Interação

“Além de ser um evento importante para nossa Igreja, é uma boa oportunidade de viver a experiência em comunidade, em outro estado, conhecer culturas diferentes”, afirmou o catequista Antônio Anderson, de 22 anos, da paróquia Santa Edwiges, localizada no Panorama XXI. Ele comentou que se houver manifestações por lá que considere plausíveis, apoiará, mas não concorda com possíveis manifestações contra gastos públicos com a visita do Papa. “É preciso avaliar os pontos positivos de um evento como a JMJ”, argumentou.

Centenas de jovens do Pará se conhecerão apenas no Rio

A Jornada Mundial da Juventude também será oportunidade de paraenses se relacionarem com outros paraenses, e até mesmo, devido às dificuldades de locomoção típicas da Amazônia, será espaço pra gente da própria diocese se ver pela primeira vez. “Vai ter gente que só vou conhecer no Rio, porque chegar a certas paróquias daqui é muito complicado”, se admira Cleiane Santos, 24 , da cidade de São Sebastião da Boa Vista, da diocese de Ponta de Pedras, no Marajó.

Da cidade de Cleiane vão 10 pessoas, mais que o dobro do que as quatro que vão de Mãe do Rio. “Vou encontrar meus conterrâneos lá. Vou com o povo de Dom Elizeu, e outros vão no ônibus de Bragança. É mais barato entrar no pacote do que pagar só”, afirmou Giovane Brasil, que nem sabe ainda se ficará alojado em escola, igreja ou hotel. “Meu amigo, eu quero é ir”.

Antes da semana da jornada é de praxe a realização da pré-jornada, chamada no Brasil de “Semana Missionária”. Os paraenses que já estão viajando são voluntários, que participarão da preparação no Rio – ou peregrinos que participarão de semanas missionárias em outros estados. A maioria que vai à JMJ por terra, porém, parte na quarta (17).

(Diário do Pará) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.