Em Encíclica, papa Francisco demonstra preocupação com a natureza e cita o desmatamento da Amazônia

Papa Francisco, na Encíckica oede mais cuidados cm a natureza
Papa Francisco, na Encíckica oede mais cuidados cm a natureza
Papa Francisco, na Encíckica oede mais cuidados cm a natureza

Cidade do Vaticano – – O Papa Francisco faz um alerta sobre os cuidados com o planeta na carta encíclica ‘Laudato si, sobre o cuidado da casa comum‘ divulgada nesta quinta-feira (18) pelo Vaticano. Entre os pontos abordados pelo pontífice – sob temas relacionados ao meio ambiente – há a preocupação com o aquecimento global, recursos hídricos, degradação social e sobre a importância da biodiversidade, onde o papa cita a Floresta Amazônica neste contexto.

Em 191 páginas, o Papa pede que as pessoas lembrem de seu papel e sua responsabilidade de cuidar da Terra e alerta a sociedade que os efeitos negativos no planeta também são negativos para os seres humanos, que dele dependem para sobreviver. “Esta irmã [a mãe terra] clama contra o mal que lhe provocamos por causa do uso irresponsável e do abuso dos bens que Deus nela colocou. Crescemos a pensar que éramos seus proprietários e dominadores, autorizados a saqueá-la.

A violência, que está no coração humano ferido pelo pecado, vislumbra-se nos sintomas de doença que notamos no solo, na água, no ar e nos seres vivos. Por isso, entre os pobres mais abandonados e maltratados, conta-se a nossa terra oprimida e devastada, que «geme e sofre as dores do parto» (Rm 8, 22). Esquecemo-nos de que nós mesmos somos terra (cf. Gn 2, 7). O nosso corpo é constituído pelos elementos do planeta; o seu ar permite-nos respirar, e a sua água vivifica-nos e restaura-nos”, diz logo no início da carta.

O secretário-executivo do Observatório do Clima, Carlos Rittl, concorda com o aviso: “A encíclica papal é um documento histórico. Ela coloca o cuidado com o meio ambiente como um imperativo moral não apenas para os católicos, mas para toda a humanidade. O papa Francisco demonstrou uma coragem que tem faltado aos líderes mundiais ao delinear claramente as causas do problema da mudança climática, que passam pelos padrões insustentáveis de produção e consumo, e ao apontar suas soluções, que passam pela saída da era dos combustíveis fósseis”, declarou em nota à imprensa.

Para Rittl, o Papa esta correto em responsabilizar mais os países desenvolvidos, “mas sem se esquecer do padrão de consumo escandaloso das classes abastadas nos países em desenvolvimento”.

Preocupação com a biodiversidade

No terceiro ponto da carta, o Papa enfatiza a perda da biodiversidade. O pontífice destaca que os recursos oferecidos pelo planeta são explorados de forma imediatista para atender a evolução do mercado econômico e industrial, mas que a “perda de florestas e bosques implica simultaneamente a perda de espécies que poderiam constituir, no futuro, recursos extremamente importantes não só para a alimentação mas também para a cura de doenças e vários serviços”.

O Papa afirma que ainda que a intenção de intervir para resolver uma dificuldade, “cria-se um círculo vicioso”, onde muitas vezes a intervenção consegue piorar a situação. “Por exemplo, muitos pássaros e insectos, que desaparecem por causa dos agro-tóxicos criados pela tecnologia, são úteis para a própria agricultura, e o seu desaparecimento deverá ser compensado por outra intervenção tecnológica que possivelmente trará novos efeitos nocivos”, exemplifica.

A Amazônia

O Papa Francisco faz uma ressalva para o impacto na biodiversidade. De acordo com o líder da Igreja Católica, estradas, novos cultivos, reservas, entre outras intervenções humanas na natureza, invadem os habitats de diversos animais e plantas, e os efeitos gerados por essas ações não podem ser ignorados.

O desmatamento da Amazônia, também preocupa o Papa
O desmatamento da Amazônia, também preocupa o Papa

“Há lugares que requerem um cuidado particular pela sua enorme importância para o ecossistema mundial, ou que constituem significativas reservas de água assegurando assim outras formas de vida. Mencionemos, por exemplo, os pulmões do planeta repletos de biodiversidade que são a Amazônia e a bacia fluvial do Congo, ou os grandes lençóis freáticos e os glaciares. A importância destes lugares para o conjunto do planeta e para o futuro da humanidade não se pode ignorar.

Os ecossistemas das florestas tropicais possuem uma biodiversidade de enorme complexidade, quase impossível de conhecer completamente, mas quando estas florestas são queimadas ou derrubadas para desenvolver cultivos, em poucos anos perdem-se inúmeras espécies, ou tais áreas transformam-se em áridos desertos”, menciona.

Em seguida critica as propostas de internacionalização da Amazônia, sob o argumento de que isto serviria apenas “aos interesses econômicos das corporações internacionais”. Para o Papa, entre outras medidas, “é preciso investir muito mais na pesquisa para se entender melhor o comportamento dos ecossistemas”.

Carta Encíclica

Uma encíclica é a principal carta que um Papa escreve aos bispos. A expressão ‘Laudato si’ (louvado seja), desta carta, é uma referência a São Francisco de Assis, inspiração para a escolha do argentino Jorge Mario Bergoglio após ser eleito líder da Igreja Católica.

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.