Conselho Eleitoral da Venezuela aprova recontagem de votos

Venezuela – Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, agradece correligionários ao chegar em distrito eleitoral na cidade de Caracas neste domingo (14).

Maduro, que ocupava o cargo de vice-presidente e ministro de Relações Exteriores durante o governo de Hugo Chávez, derrotou Henrique Capriles, da oposição.

O CNE (Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela) aprovou nesta quinta-feira (18) a auditoria de 100% das urnas da eleição presidencial do último domingo (14), que reelegeu o herdeiro político de Hugo Chávez e então presidente interino, Nicolás Maduro.

Análise

A decisão responde a um pleito do candidato de oposição Henrique Capriles, que contestou formalmente a vitória de Maduro e acusou uma série de irregularidades no processo eleitoral.

Capriles perdeu a eleição por uma pequena diferença na margem de votos, de 1,8% dos pontos percentuais — cerca de 265 mil.

A recontagem está prevista na legislação eleitoral do país, que permite a ampliação da verificação das urnas que não foram auditadas no dia da eleição –neste caso, são 46%.

Até então, o CNE havia auditado 54% das urnas chamadas ‘de garantia’–aquelas que guardam os comprovantes físicos emitidos contra cada voto eletrônico.

Decisão deve acalmar tensão no país

Em sua fala, a presidente do CNE, Tibisay Lucena, disse que a decisão da entidade pela recontagem de votos atende “a uma situação evidentemente particular” no país — numa referência à onda de protestos violentos desencadeados pelo resultado da eleição.

Segundo o CNE, será selecionada uma amostra de urnas para ser auditada durante dez dias, quando se emitirá um relatório preliminar, repetindo esse procedimento até um prazo de 30 dias. A entidade anunciará o início desse processo na próxima semana.

Tão logo o anúncio do CNE foi feito, Capriles se pronunciou a favor da medida, e adiantou que a oposição vai acompanhar de perto a realização da auditoria.

“Consideramos que nestas 12 mil urnas (que serão abertas para auditoria) estão os problemas. Poderemos perfeitamente mostrar ao país a verdade”, disse.

Nicolás Maduro, que assumirá a presidência da Venezuela na sexta-feira (20), está em Lima (Peru), onde participou da reunião de emergência da Unasul (União das Nações Americanas) sobre a crise na Venezuela. O encontrou terminou na madrugada desta sexta-feira. A Unasul reconheceu a vitória de Maduro no pleito presidencial.

Encabeçada pela presidente do Brasil, Dilma Rousseff, a cúpula extraordinária reuniu todos os presidentes sul-americanos, exceto o equatoriano Rafael Correa, que está em viagem pela Europa.

Fonte – Agências Internacionais 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.