Chama olímpica chega nesta terça ao Brasil

O brasileiro Giovani, ex-jogador de Velei, com a toccha na Grécia

O brasileiro Giovani, ex-jogador de Velei, com a toccha na Grécia
O brasileiro Giovani, ex-jogador de Velei, com a Tocha Olímpica,  na Grécia

Rio – A chama olímpica finalmente chegará ao Brasil na terça-feira. A primeira parada será em Brasília, onde terá início o revezamento da tocha por 327 cidades até o dia 5 de agosto. Nessa data, a pira será acesa no Maracanã, o palco da abertura da Rio-2016. Até lá, 12 mil condutores terão a chance de carregar o símbolo dos Jogos por vários cantos do país, repetindo a experiência do bicampeão olímpico do vôlei Giovane Gávio.

O ex-jogador foi o primeiro brasileiro a conduzir a tocha da Rio-2016, no dia 21 de abril, em Olímpia, na Grécia. “É um daqueles momentos que ficam na memória, a sensação de que o mundo parou”, contou Giovane, na ocasião. Os condutores foram selecionados pelo Comitê Organizador, Comitê Olímpico do Brasil, prefeituras e por campanhas promovidas pelos três patrocinadores do revezamento (Bradesco, Coca-Cola e Nissan).

Com a Olimpíada de Pequim-2008 no currículo, quando tinha apenas 16 anos, a maratonista aquática Ana Marcela Cunha se prepara para os Jogos do Rio com status de favorita. Mas antes ela terá a honra de carregar a tocha, no dia 22 de julho, em Santos. “Foi uma grata surpresa. Para mim, conduzir a tocha é um orgulho imenso. É carregar nas mãos o símbolo olímpico e ter a certeza de que os Jogos estão logo ali”, diz Ana Marcela.A nadadora Ana Marcela

A carioca Lara Leite de Castro terá a chance de levar novamente a tocha. Ela foi a primeira brasileira a conduzir o símbolo dos Jogos, em Barcelona-1992. Na ocasião, aos 19 anos, Lara ganhou um concurso de redação entre estudantes de Educação Física com o tema valores olímpicos. “Além de falar da importância do esporte na integração dos povos, coloquei muita emoção no que escrevi e acho que isso fez a diferença”, lembra Lara, que conduziu a tocha em Sevilha, na Espanha.

Agora, ela carregará o símbolo em Brasília: “Apesar de ter sido marcante, mais de 20 anos se passaram e não imaginava ser chamada de novo. Estou mais nervosa agora.”

Em solo brasileiro 

Após sair da Grécia e passar pela Suíça, a tocha olímpica será recebida pela presidente da República, Dilma Rousseff, em Brasília (DF).

A rota 

Depois de passar por Brasília, a tocha visitará todos os estados do país, com o fim do revezamento no dia 5 de agosto, no Rio de Janeiro, na abertura dos Jogos.

Tocha nacional 

Ao todo, serão mais de 300 cidades visitadas pela tocha, que será conduzida por mais de 12 mil pessoas em 90 dias. 

Pira olímpica 
A tocha será usada para acender a pira olímpica, que ficará na Praça Mauá, região portuária do Rio.

Amazonianarede

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.