“Bacalhau da Amazônia” entra no cardápio da merenda escolar no Estado

Amazonianarede – Agecom

Manaus – A partir de março, o cardápio da merenda escolar da rede de ensino do Estado vai ficar mais diversificado. Um dos novos pratos é o Bacalhau da Amazônia, feito com o pirarucu manejado da Reserva de Mamirauá e industrializado na fábrica de Maraã (a 1.105 quilômetros de Manaus).

Para 2013, o Governo do Amazonas ampliou em 28,7% o valor destinado ao Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), com total de R$ 30 milhões em aquisições, beneficiando cerca de 13,5 mil produtores regionais.

O Bacalhau da Amazônia será incluído no cardápio depois de testes nutricionais realizados pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e depois de ter o sabor testado e aprovado pelos alunos.

O incremento no cardápio da merenda na rede de ensino estadual significa ganhos principalmente para a economia local. Além do bacalhau do peixe amazônico, filés de peixes regionais e suco de laranja foram incorporados na lista de compras do Preme, que em 2013 teve investimentos ampliados, conforme determinação do governador Omar Aziz.

“A produção do pirarucu envolve os municípios de Fonte Boa, Tefé, Tonantins e Maraã, com o manejo. Conseguimos ter a captura e vender o produto com valor agregado”, frisou o presidente da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), Valdelino Cavalcante, órgão responsável pelo Preme.

O menu de produtos oferecidos aos alunos é composto de 51 itens, entre frutas, legumes, peixes, carnes e doces. Tudo é adquirido de produtores credenciados em todo o Estado, por meio do Preme.

A agricultora Valda dos Santos, 49, fornece para o programa há cinco anos, período no qual conseguiu comprar a casa própria e um novo terreno para o cultivo de hortaliças, no município de Iranduba (a 28 quilômetros de Manaus).

“Veio em um momento muito bom para nós. A gente estava passando por uma situação difícil da nossa vida. E a garantia de vender o produto a um preço acessível fez muita diferença. Antes a gente não vendia a preço de mercado porque não tínhamos acesso a ele. Os nossos ganhos eram bem baixos”, relatou a agricultora, enfatizando que toda a sua plantação é livre de agrotóxicos.

Assim como dona Valda, outros 13,5 mil produtores, entre agricultores familiares, cooperativas, associações e agroindústrias fornecem para a merenda escolar. Em uma década, o programa injetou R$ 132 milhões no segmento, beneficiando principalmente o interior.

“Esse recurso, que antes era mandado para compra em outros Estados, hoje é investido no interior do Amazonas com a geração de quase 15 mil empregos para produtores rurais e com o efeito de incentivar o crescimento e qualificação da produção e a formação de mão de obra. Além de respeitar o hábito alimentar dos nossos alunos”, pontuou Cavalcante.

Este ano, além da expansão do fornecimento para as escolas estaduais, a ADS negocia um convênio com a Secretaria Municipal de Educação de Manaus para atender as escolas municipais da capital.

Nas escolas estaduais, as refeições são servidas diariamente no intervalo das aulas, atendendo 565 mil alunos. Por ano, esse número representa mais de seis toneladas de alimentos. Nas mais variadas receitas, a merenda escolar ajuda na nutrição dos alunos e contribui na melhora do rendimento educacional, além de ser um atrativo a mais para os estudantes. “Eu gosto muito da macarronada. É gostosa e nutritiva”, disse o estudante Rafael Nascimento, 9 anos, da Escola Estadual Olavo Bilac, no São Raimundo.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.