As quedas estão entre as principais causas de acidentes em crianças atendidas na rede estadual de saúde

As quedas estão entre as principais causas de acidentes em crianças atendidas na rede estadual de saúde

As quedas estão entre as principais causas de acidentes, em crianças com idade até 10 anos, atendidas nas unidades de urgência e emergência da Secretaria de Estado de Saúde (Susam)

Amazonas – No Hospital e Pronto-Socorro da Criança (PSC) da Zona Leste (Joãozinho), referência em neuropediatria e para onde a maioria dos casos é encaminhada, foram atendidas 2.524 crianças vítimas de quedas, de janeiro a abril deste ano. No mesmo período do ano passado, foram 2.200. No PSC da Zona Sul foram realizados 93 atendimentos com esse perfil, nos quatro primeiros meses de 2018. Em 2017, foram 56.

Segundo a diretora do PSC Zona Sul, Silvia Picanço, cair faz parte do processo de desenvolvimento da criança, desde os primeiros passos, porém, algumas medidas preventivas são importantes, para evitar acidentes mais graves. Ela ressalta que é fundamental que os pais ou responsáveis mantenham supervisão constante sob as crianças, porque a maioria dos acidentes ocorre quando os adultos não estão por perto.

“No próximo mês inicia o período de férias escolares, época em que a maioria das crianças passa mais tempo em casa, por isso, é necessário redobrar a atenção”, frisou. No

Cuidados redobrados

Risco de queda

De acordo com Silvia Picanço, os cuidados devem ser redobrados também fora de casa, nos parques e na rua. “É importante ficar atento se os brinquedos do playground do parque não oferecem risco para a criança. O ideal é que o local tenha um piso macio para amortecer as quedas”, disse.

A diretora alerta, também, para o perigo das escadas, lajes, sacadas, janelas, berços e camas sem proteção. Recentemente, ela lembra que circulou nas redes sociais o vídeo de uma criança de aproximadamente seis meses pendurada na sacada de um apartamento e os vizinhos gritando, tentando avisar os pais.

A situação encerra quando uma pessoa aparece e retira o bebê. “Essa criança poderia ter sofrido um acidente muito grave e até ter ido a óbito”, destacou.

Silvia Picanço recomenda que os pais coloquem grades de proteção no topo e na base de escadas, telas de proteção nas janelas e sacadas. No caso dos bebês, a orientação é que eles nunca fiquem sozinhos na cama ou no trocador, mesmo que ainda não consigam se virar. “Um minuto de descuido é suficiente para que aconteça um acidente”, ressaltou.

Os pais também devem ter atenção à altura do berço, porque se a criança já conseguir ficar em pé, pode cair por cima da grade, frisa a diretora. “Quando já tiver idade para dormir sozinho, o ideal é escolher um modelo de cama com grades de proteção dos dois lados”.

Para as crianças maiores, de acordo com a diretora, o uso de equipamentos de segurança, como capacetes e joelheiras, para brincar de bicicleta, skate e patins, é obrigatório.

 Primeiros Socorros

Silvia Picanço diz que, mesmo com todos os cuidados, a criança vai cair em algum momento e os pais devem saber como agir nesse tipo de situação. A primeira dica é manter a calma. “É sempre bom ter em mãos o número de telefone da emergência. Se a criança tiver um pediatra que o acompanha com frequência, o ideal é acioná-lo”, afirmou.

A diretora explica que os recém-nascidos sempre devem ser levados ao pronto-socorro, em caso de queda. As crianças maiores, dependendo da situação, também devem ser encaminhadas para o hospital. “Sintomas como sonolência, desorientação e vômito são sinais de que a queda foi grave. Após uma queda, a criança não deve dormir, porque fica mais difícil observar como ela vai reagir depois do acidente”.

Amazonianarede-Secom

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here