Arthur inspeciona obra de interligação do Proama

O prefeito Arthur Virgílio Neto inspecionou, nesta quinta-feira, 8, os trabalhos de interligação do Programa Águas para Manaus (Proama) à rede normal de abastecimento. Ele esteve na estação do programa localizada no bairro Cidade Nova, zona Norte, onde duas bombas foram substituídas para aumentar a capacidade de distribuição.

Segundo o prefeito, a meta é que no dia 15 de setembro o programa entre em funcionamento, beneficiando, aproximadamente, 450 mil pessoas que sofrem com a falta de água nas zonas Norte e Leste.

“Dessas, cerca de 250 mil têm água em certo período do dia e outras 200 mil não têm água nenhuma em suas torneiras”, explicou. “Pedimos que esperem até o dia 15 de setembro para começar a jorrar água nas torneiras, primeiramente, da zona Leste e até março de 2014 da zona Norte também”, afirmou Arthur Neto.

As duas bombas de água, de 250 cavalos de potência cada uma, retiradas da estação do Proama foram remanejadas para o Núcleo 23, ainda na Cidade Nova, onde antigas bombas com 70 cavalos de potência foram removidas. Na estação, duas bombas com o dobro da potência foram reinstaladas.

Para a realização da primeira etapa da interligação do Proama à rede de distribuição, sete bairros tiverem o abastecimento interrompido, mas, de acordo com o presidente da Manaus Ambiental, Alexandre Bianchini, para os próximos serviços não haverá necessidade de que novos cortes aconteçam.

“A gente não vai fazer mais nenhuma parada de sistema para colocar o programa em funcionamento. Daqui pra frente tudo vai ser feito com as adutoras em carga, sem a necessidade de mais nenhuma interrupção na distribuição”, garantiu Bianchini.

A Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama) irá administrar o Proama até que uma licitação seja realizada para contratação de uma nova empresa. A Manaus Ambiental, empresa responsável pelo abastecimento de água na capital, comprará a produção do programa para fornecer à população.

“Ela (Manaus Ambiental) compra, porque é a única que pode distribuir como dona da concessão e, como a estrutura do Programa Águas para Manaus não foi construída pela fornecedora, então terá que comprar”, ressaltou Sérgio Elias, coordenador da Unidade Gestora de Projeto Municipal de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário (UGPM-Água).

(Texto: Alita Falcão / Foto: Altemar Alcântara)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.