Arthur entrega certificados de qualificação aos permissionários do Adolpho Lisboa

(Reportagem: Cleidimar Pedroso/Foto: Marinho Ramos)

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, se emocionou ao falar aos permissionários do Mercado Municipal Adolpho Lisboa que estava aliviando a cidade de uma angústia de oito anos.

Arthur entregou certificados de conclusão de cursos de qualificação aos permissionários do mercado, nesta quinta-feira, 17, e se referiu à finalização da obra de restauro, que será entregue no dia 23, véspera do aniversário de Manaus. Ele destacou também, que os ensinamentos repassados aos trabalhadores é fundamental para conservar o mercado. A solenidade ocorreu no Café Teatro Les Artiste, na Avenida Sete de Setembro, nº 377, Centro.

Sob a coordenação da Secretaria Municipal do Centro (Semc) e em parceria com Secretaria Municipal de Feiras, Mercados, Produção e Abastecimento (Sempab), Escola do Serviço Público Municipal (ESPI), Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam) e Secretaria de Estado de Educação (Seduc), os cursos foram oferecidos para melhor atender os clientes e cuidar mercado que está em fase final de restauração.

“Vocês são as grandes estrelas desta noite”, disse o prefeito de Manaus aos 182 permissionários que tiveram aulas de atendimento ao cliente, gestão de pequenos negócios, boas práticas de higiene e manipulação de alimentos, noções de tratamento de resíduos sólidos e inglês básico, além de aulas sobre a história do mercado. A capacitação começou no dia 16 de setembro e encerrou no dia 11 de outubro.

“É um peso muito grande que a gente tira das costas deles e um grande resgate da história de Manaus. Isso mostra que a gente vai até o fim até na luta contra o crime organizado para devolver o Centro, o orgulho a cidade de Manaus”, disse Arthur.

O secretário da Semc, Rafael Assayag, afirmou que o maior patrimônio do Marcado Adolpho Lisboa são os permissionários, por isso a Prefeitura se empenhou para que os permissionários que tem história no Adolpho Lisboa voltassem para os seus boxes. “O mercado passa a ser um lugar de referência no Amazonas para venda de alimentos, de artesanato e outras mercadorias que o marcado vendia. Seja referência de um bom atendimento, de um local limpo, higiênico e com qualidade, um local que vende história ”, declarou Rafael, sobre as mudanças a partir dos cursos de qualificação que os permissionários participaram.

Eunice de Jesus Colares tem 68 anos e há 46 é permissionária do Adolpho Lisboa. “Nós passamos oito anos no deserto. Todos os cursos valeram a pena. Vamos receber nossos clientes com dedicação e muita presteza. Também vamos ter cuidado com o nosso mercado, principalmente com a limpeza. É um grande privilégio”, disse.

A oferta dos cursos faz parte de um acordo entre a prefeitura e os permissionários. Em setembro eles deixaram a feira improvisada montada no entorno do mercado e se comprometeram a participar dos cursos de qualificação profissional. Em contrapartida, além do conhecimento adquirido, eles passaram a ter direito ao pagamento de um auxílio em duas parcelas no valor de R$ 2 mil cada, referente aos meses de setembro e outubro. Como a feira improvisada foi desmontada, nesses dois meses os permissionários estão com as atividades suspensas.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.