Ampliação e modernização da maternidade Balbina Mestrinho estão 90% concluídas

Manaus – As obras de ampliação e modernização da Maternidade Balbina Mestrinho, referência no atendimento de gravidez de alto risco no Amazonas e a mais antiga da rede estadual de saúde, estão 90% concluídas. Com inauguração prevista para o final de junho deste ano, a maternidade teve sua estrutura física mais que duplicada, com a implantação de novas Unidades de Cuidados Intermediários (UCI’s) neonatais.

Com investimento de R$ 15 milhões do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), a estrutura da maternidade foi ampliada de 2.582m² para 5.482m². Do total investido, R$ 4,8 milhões vieram de convênio com o Governo Federal. Com a expansão, o número de UCI’s neonatais passou de dez para 20. Foram modernizadas, ainda, as três salas cirúrgicas, as dez Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) e os 115 leitos, sendo dez leitos pré-parto, 53 maternos e 52 linfantis, que passam a compor o novo prédio.

De acordo com o secretário da Susam, Wilson Alecrim, a ampliação e modernização da maternidade Balbina Mestrinho faz parte do conjunto de investimentos do Governo do Estado para ampliar a rede de assistência à saúde no Amazonas e que inclui obras recentemente lançadas pelo governador Omar Aziz, como a construção do Hospital da Zona Norte e o novo Hospital do Sangue, em Manaus.

De acordo com o diretor da maternidade, Marco Lourenço Silva, a parte referente à antiga estrutura da Balbina Mestrinho manterá apenas o atendimento de demandas de pré-natal, com mais conforto e melhor qualidade na assistência. “O governador Omar Aziz determinou que o atendimento seja o mais digno possível para as pacientes parturientes do Amazonas. Mais do que aumentar a oferta do serviço esta unidade quer dar conforto e segurança aos pacientes”, disse o diretor.

Referência – Marco Lourenço, que também é ginecologista obstetra, destacou que a maternidade vai reforçar ostatus de referência em parto de alto risco da região Norte, concedido pelo Ministério da Saúde, através do Rede Cegonha, projeto do Governo Federal que preconiza a humanização da assistência às mães e aos bebês. “O atendimento padronizado, conforme as exigências de qualidade da Rede Cegonha, aliado a uma estrutura com tecnologia de ponta elevará ainda mais a qualidade do serviço prestado na maternidade Balbina Mestrinho”, disse, ao acrescentar que a unidade tem capacidade para atender pacientes de todo Estado e também de países vizinhos como já aconteceu com pacientes provenientes do Peru e Haiti, lembrou o médico.

Prédio antigo será reconstruído – Assim que a expansão da maternidade for entregue, o Governo do Estado, através da Susam, iniciará o projeto de reconstrução do prédio antigo da maternidade, que tem quase 53 anos.

Segundo o secretário Wilson Alecrim, o projeto atende uma determinação do governador Omar Aziz, de dar continuidade à modernização da unidade.

“O projeto prevê a construção de outro prédio, ao lado do novo verticalizado, formando a letra H”, detalhou Alecrim, frisando que o esboço preserva a fachada antiga da maternidade, que deverá ser restaurada.

Mais obras – Além da ampliação e modernização da Maternidade Balbina Mestrinho, a Susam programou para o mês de maio o início de três importantes obras. A principal delas é a do Hospital da Zona Norte, com investimento inicial de R$ 289 milhões por meio de Parceria Público-Privada (PPP). Também em maio começam as reformas do Hospital Geraldo Rocha, no Aleixo, com investimento de R$ 2,7 milhões, e do Centro de Atenção Psicossocial Silvério Tundis, com aporte de R$ 650 mil.

(Agecom) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.