Ações estimulam autonomia e independência dos idosos

A Prefeitura luta por mais autonomia e independência aos idosos
A Prefeitura luta por mais autonomia e independência aos idosos
A Prefeitura luta por mais autonomia e independência aos idosos

Manaus – Estimular a autonomia e independência do idoso é uma das estratégias utilizadas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) na prevenção à violência contra as pessoas com 60 anos ou mais e que procuram atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Durante esta semana, o órgão estará reforçando as ações de prevenção a esse tipo de violência, marcando o Dia Mundial de Combate à Violência Contra a Pessoa Idosa, dia 15 de junho.

A programação teve início no Centro de Convivência do Idoso (CCI) Armando Mendes, no conjunto Manôa, zona Norte, com palestras educativas e teatro de fantoches sobre a problematização da violência contra pessoas na terceira idade. O CCI atende a 120 idosos que participam de atendimento diário, com atividades físicas, de educação em saúde, consulta com fisioterapeuta, atividades recreativas e alfabetização para pessoas com mais de 60 anos.

A chefe do Núcleo de Saúde do Idoso da Semsa, enfermeira Maria Eliny Ribeiro da Rocha, explicou que a orientação é para que os serviços de saúde atuem no sentido de incentivar a autonomia e a independência dos idosos, já que a dependência faz com que tenham maiores chances de sofrer algum tipo de violência. “O idoso independente diz o que quer, vai para onde quer ir e da forma que acha melhor, não depende tanto de outras pessoas. O importante é que o idoso se mantenha ativo e saudável, que participe de grupo de idosos e interaja com os membros da família”, recomendou a enfermeira.

De acordo com Eliny Rocha, os tipos de violência contra idosos podem ser física, sexual, psicológica, econômica/financeira, abandono, negligência e a autonegligência. “Um exemplo de violência psicológica é aquela quando se diz ao idoso que ele não serve mais para nada, não manda mais em casa. A violência financeira, que é uma das que o idoso mais sofre, é quando alguém utiliza indevidamente o salário ou faz empréstimos utilizando o cartão do idoso, entre outras ações”, explicou Eliny Rocha.

A aposentada Iva Paixão, de 61 anos, frequenta o CCI Armando Mendes e destaca a importância da oferta de serviços que estimulem o idoso a se manter ativo e permitem às pessoas informações sobre seus direitos. “As informações que obtemos aqui podemos levar para outros idosos e outras famílias, mesmo porque a violência geralmente começa na própria casa. Além disso, podemos participar de uma série de atividades educativas, passeios e festas. O CCI é a minha segunda casa e sem ela não sobrevivo mais”, afirmou Iva Paixão.

A programação para marcar o Dia Mundial de Combate à Violência Contra a Pessoa Idosa segue na rede municipal de saúde até sexta-feira, dia 19, com atividades educativas. Já os Centros de Convivência do Idoso terão serviços diferenciados direcionados aos idosos e comunidade em geral. Na quarta-feira, dia 17, o CCI Deodato de Miranda Leão, na zona Oeste, a partir das 14h, fará uma apresentação utilizando a metodologia da Tenda do Conto, com depoimento de idosos. Na quinta-feira, dia 18, a UBS Japiim, na zona Sul, a partir das 14h30, organizará uma exibição de vídeo seguida de roda de conversa sobre violência contra idosos.

Amazonianarede-Semcom

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.