ACA comemora 142 anos, critica mobilidade urbana e condena os camelôs no centro

Manaus – Os comerciantes de Manaus, especialmente os que atuam no centro da capital, criticam há muito tempo a questão comercial e a falta de mobilidade, fatores que provocam a queda do movimento na área e prejudica o movimento varejista.

Por ocasião das comemorações alusivas aos 142 anos da Associação Comercial do Amazonas, o fato foi destacado durante a solenidade, onde foram condecoradas várias personalidades, evento realizado ontem a noite.

Segundo o presidente da ACA Ismael Bichara, representantes da associação têm reunido-se com o prefeito da cidade para “discutir um projeto para o Centro”. “Mas não depende só deles [da Prefeitura]. Não depende só de nós [da ACA]. Depende de institutos de preservação, que não permite muitas coisas, porque o nosso Centro é um patrimônio histórico e fica difícil fazer qualquer mudança, mesmo que para benefício geral da população”, disse.

Entre as atividades de destaque da associação ao longo de sua existência estão, segundo Bichara, o custeio de todo o policiamento da Guerra de Canudos (1896-1897) e o controle da exportação de borracha. “A ACA foi a quarta associação comercial criada no Brasil e nasceu justamente para auxiliar o controle das exportações nos tempos áureos da borracha“, relatou.

Na cerimônia de comemoração dos 142 anos da ACA, a entidade homenageou pessoas que “que prestaram serviços relevantes à sociedade”, com a entrega da medalha J. G. de Araújo, instituída em 1985.(Redação) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.